Foi uma despedida discreta. Enquanto o Recife se refestelava nas prévias, a creperia Montmartre fechava as portas na semana que antecedia o carnaval. Foram quase 18 anos na Rua Alfredo Fernandes, 61, em uma linda e espaçosa casa com jardim, um dos restaurantes mais aconchegantes da Zona Norte.

Agora, quem passa pelo endereço, ali do lado da McDonalds da Avenida Dezessete de Agosto, vê tapumes e uma quebradeira só. A casa passa por uma reforma radical: praticamente só a fachada parece que irá permanecer. De acordo com Cecília Montenegro, antiga sócia do Montmartre, mais uma barbearia será inaugurada no local.

Livraria Módulo fecha as portas e prédio está para alugar em Parnamirim

O fim do Montmartre aconteceu por divergências na sociedade do casal que comandava o restaurante, Cecília e o francês Patrick Lemarié. Patrick, que quase sempre ficava no caixa do restaurante, deve voltar para a França. Já Cecília vai dar continuidade ao Montmartre com outra proposta.

“Não teremos mais Montmartre fixa. A não ser que apareça um investidor. Todo material e máquinas estão bem guardados”, conta Cecília, que também é idealizadora da Feira Livre do Poço.

Por enquanto, a ideia é esperar as chuvas passarem para fazer datas especiais de crepes do Montmartre na própria casa dela, no Poço da Panela. Para quem está com saudade, em breve avisaremos quando começarem os encontros!