A esperança de ver o Capibaribe navegável sofre pouco a pouco a ação do tempo. No projeto Rios da Gente, nem as placas indicando informações oficiais sobre as obras restaram. Os tapumes foram roubados e o esqueleto do que seriam os pontos de embarque e desembarque estão expostos.

(foto: Alexandre Gondim/JC Imagem)

Na Estação Santana, ao lado do parque que leva o mesmo nome, a placa do projeto resiste ao tempo e aos atrasos. O píer que levaria os passageiros ao barco também está de pé, mas o mato alto cobriu a área, que virou ponto de consumo de drogas.

A estação é uma das mais emblemáticas, porque foi nela que, em janeiro de 2013, o então governador Eduardo Campos, ao lado do prefeito do Recife, Geraldo Julio (e outras autoridades) anunciaram com entusiasmo o pontapé inicial nas obras de dragagem, primordial para viabilizar a navegabilidade do curso d'água.

Quem passa pela estação (e vê o que o local poderia se tornar) tem a sensação de que a navegabilidade, mais uma vez, ficou pelo caminho.

Leia a matéria completa no JC Online (com informações de Marcela Balbino)


O jornal de bairro evoluiu. No PorAqui, você encontra estações de conteúdo hiperlocal e colaborativo.

Para baixar o aplicativo: Android iOS

Sugestões e colaborações: casaforte@poraqui.news ou (81) 9.8173.9108