Apesar de toda a crise política e de valores que tomou conta do Brasil em 2017, quem é de Casa Forte, na Zona Norte do Recife, teve motivo de sobra pra sentir orgulho do bairro. Ao longo do ano, várias iniciativas contribuíram pra tornar a região mais sustentável e humana.

Uma delas foi o Jardim Secreto, criado pela Associação dos Moradores e Amigos do Poço da Panela (AMAPP) no finalzinho da rua Marquês de Tamandaré, onde também fica um barquinho escondido que atravessa o Rio Capibaribe por R$ 1.

Teve também o grupo de segurança comunitária Casa Forte Mais Seguro, coordenado pelo morador Yves Nogueira e o projeto de jiu jitsu que tem mudado a vida de crianças carentes no Poço da Panela. Como esquecer dos voluntários que se reúnem toda quarta-feira pra ajudar moradores de rua?

Acompanhamos também o engajamento de moradores como Bruno Lopes, que criou uma conexão com a vizinhança a partir da sementeira colaborativa do Edf. Tejucupapo, e de Francisco Cunha, responsável pelo primeiro movimento de militância pela mobilidade a pé.

Bruno Lopes dá exemplo de sustentabilidade no bairro – Foto: Facebook/Bruno Lopes

Teve ainda o dono do Armazém Etapa Final, Sérgio Nascimento, que além de manter uma central de reciclagem 24 horas para ajudar os catadores, criou o projeto Construção Livre, que estimula a doação de materiais de construção a quem precisa.

Haja inspiração pra nos fazer acreditar num mundo melhor!

Histórias, memórias e personagens

Resgatamos fatos históricos sobre Casa Forte, como o dia em que Gregório Bezerra foi arrastado pelas ruas do bairro, a trajetória de Anna Paes, dona do Engenho Casa Forte e a do casal abolicionista que escondia escravos no Poço da Panela.

Por outro lado, identificamos resquícios de uma sociedade ainda patriarcal e, por isso, questionável.

Também ouvimos alguns artistas que declararam seu amor por Casa Forte. Contamos histórias de realidades diferentes, como a de Jairo, figura carimbada das ruas do Poço da Panela, a da cabeleireira Carmem Suassuna, que assumiu a calvície e  abriu o primeiro salão voltado para soluções capilares no bairro, além da vizinhança escondida à beira do Capibaribe.

Vizinhança que mora na beira do Rio Capibaribe

Sem falar das lembranças e memórias afetivas de Casa Forte, entre elas a Come-Come, hamburgueria que fez história no bairro e o Cine Luan, que funcionou nos 1960 onde hoje é a Subway da Avenida 17 de Agosto, em frente à Praça da Casa Forte.

Gastronomia e serviços

Ao longo do ano, demos várias dicas de locais onde comer e beber. Até a blogueira Anna Terra elegeu os 5 melhores restaurante do bairro!

Contribuímos para a divulgação de pequenos negócios, como o do morador Fernando Eckhardt, que produz granola artesanal com ingredientes locais. Pense numa delícia! Descobrimos o Tal Burguer, um tesouro escondido para os amantes de hambúrguer.

Também acompanhamos a abertura de novos estabelecimentos, como a primeira loja física da Docecleta, o tempero argentino do Ramon Bar y Parrila, a cozinha irlandesa do Donovan’s Irish Pub, o Chefão Hamburgueria e Petiscaria, o cardápio alemão do Wurst Haus e o conceito indígena da Oca Xukuru Café.

Oca Xukuru Café abriu as portas no Poço da Panela em agosto – Foto: Marina Suassuna/PorAqui

É claro que não esquecemos da boemia tradicional que bate ponto há décadas nos bares de Seu Vital, do Chico do Guaiamum e do Largura.

Listamos vários serviços, como espaços para fazer yoga, cafeterias culturais, lugares com wifi grátis pra trabalhar no bairro, onde comprar orgânicos e onde tomar uma sopa quentinha no bairro.

Cartão-postal

Se teve um local que marcou presença constante PorAqui em 2017 foi a Praça de Casa Forte, nosso principal cartão postal, tombada pelo Iphan e considerada o coração do bairro. Quem lembra da notícia que um conselheiro da Unesco sugeriu a inclusão dos jardins da Praça na lista de patrimônio mundial?

Foto: Francisco Cunha

Além de ser palco da tradicional festa da Vitória Régia – que esse ano aconteceu pela primeira vez sem o seu maior incentivador, Padre Edwaldo, falecido em julho – a Praça de se tornou um polo gastronômico com mais de 15 estabelecimentos que reunimos neste guia.

Tem algum assunto que você gostaria de ver PorAqui em 2018? Conta pra gente nos comentários!