É quase uma regra. Quando você diz a alguém de fora de Pernambuco que é pernambucano a ordem vem na sequência: dança frevo aí pra gente ver! Vamos combinar uma coisa. Nem todo pernambucano sabe fazer uma “tesoura”. O ritmo, nascido e criado no final do século XIX, oriundo dos maxixes, dobrados, polcas e marchinhas de carnaval, é difícil pra caramba de coreografar e exige uma resistência Usainboltiana.

Mas se a ideia é não fazer feio na próxima vez, que tal dá uma passadinha na Escola de Frevo do Recife. Quem passa pela Avenida Norte vê o prédio, em pleno bairro da Encruzilhada, mas o endereço formal é na Rua Castro Alves. O prédio abriga cursos para todas as idades e tem como objetivo contribuir para a preservação da cultura pernambucana. A escola foi criada em 1996, pensada inicialmente para oferecer 400 vagas, direcionadas para alunos da rede municipal de ensino.

LEIA TAMBÉM

Melodia da Bodega: a festa que mudou o Torreão

Rosarinho terá boate gay The Valley Club

As melhores dicas do Mercado da Encruzilhada

Foto: Allan Torres/Divulgação

Em 2003 passou por uma reforma e já com um novo nome – Escola Municipal de Frevo Maestro Fernando Borges, foi reinaugurada e hoje atende cerca de 680 alunos, a partir dos cinco
anos de idade. Além dos cursos, o espaço abriga eventos relacionados a cultura pernambucana, contribuindo com a sua difusão. Quatro instrutores, todos ex-alunos, são responsáveis por ministrar as aulas e passar adiante a imensa biblioteca de passos que podem se executados ao som do ritmo genuinamente pernambucano, considerado patrimônio imaterial da humanidade pela Unesco.

A escola formou há alguns anos a Companhia de Frevo do Recife que já participou e participa de vários festivais nacionais e internacionais. Em 2006 o grupo ganhou o prêmio (GRAND PRIX), do festival internacional de dança nos Estados Unidos. Todas as aulas são gratuitas, diárias e divididas em três turnos das 8h30 às 22h, sem intervalos. As inscrições para cada ano letivo são abertas sempre na semana pré-carnavalesca. As turmas são divididas entre: Infantil I, que atende crianças de 5 a 8 anos, Infantil II, para crianças de 9 a 12 anos, Adolescente, para jovens de 13 a 17 anos, e Adulto. Há ainda uma turma para crianças e jovens com algum tipo de necessidades especiais.

Foto: Bernardo Soares/JCImagem

Mas quem foi o maestro Fernando Borges que dá nome à escola? Segundo a historiadora e pesquisadora Marieta Borges, Fernando foi um recifense, carnavalesco desde a infância, que fez do Carnaval do Recife a sua grande paixão. Conduzia os mais famosos bailes nos dias de folia, nos clubes sociais da cidade. Chegou a enfrentar a maratona de não deixar acabar a festa, invadindo a Quarta-feira de Cinzas com sua orquestra, em disputas com outras, em outros clubes, numa prova de resistência e amor ao carnaval de sua terra, entre outros feitos momescos. Nada mais justo que o reduto do frevo leve seu nome. A escola funciona na Rua Castro Alves, 440, no bairro da Encruzilhada.

Escola de Frevo do Recife
Rua Castro Alves, 440 , Encruzilhada
Fone: (81) 3355-3102