Nana Barros é vegana, nutricionista, feminista e cozinheira de mão cheia. Arthur Mota é vegano, estudante de gastronomia e também um apaixonado pela história da alimentação. Os dois se conheceram de maneira despretensiosa, num Vegnique – piquenique mensal pensado para pessoas veganas se conhecerem e trocarem experiências.

Na época, Arthur era ovolactovegetariano, mas já trabalhava eventualmente com a culinária vegana através do La Gambeta Vegana. Nana já vendia seus quitutes através da Cereja – comida sem crueldade. Foi numa feira colaborativa, no bairro da Várzea, que os dois resolveram unir forças dando a luz ao Complô – Comida Vegana Inclusiva, com o anseio de impactar o mundo abraçando o máximo de pessoas possíveis com o veganismo.

Autonomia e veganismo popular: dupla oferece oficina que vai além da culinária

A parceria surgiu na época que a nutricionista descobriu-se sensível à proteína do trigo. Foi, então, de onde veio a proposta de pensar  todo o menu também na versão sem glúten. Nana explica ainda que não há contaminação cruzada entre os alimentos, visto que as cozinhas são totalmente separadas.

O desafio é proporcionar sabor também para pessoas celíacas ou sensíveis ao glúten, sendo elas veganas ou não. Além disso ,o Complô se propõe a vender as iguarias com valores acessíveis em porções generosas, fazendo jus ao nome comida inclusiva e deixando clara a proposta da dupla.

Lasanha de lentilha ao molho Complô, com queijo cremoso de chuchu e ervas. (Foto: Divulgação)

Cardápio

O cardápio é variado e possui como carro-chefe as empanadas (com glúten) feitas com farinha de trigo integral e recheios de antepasto de berinjela ou de cenoura, jerimum e molho de tomate caseiro.

Já entre as opções sem glúten, quem reina é a quiche de farinha de grão de bico com recheio de creme de tofu, alho poró e tomate seco. Nas doçuras, quem comanda é a tartelete de ganache de chocolate preparada com creme de abacate, cacau e melado de cana.

Tortinha de cacau com recheio de mousse de banana com canela (Foto: Divulgação)
Esfirra de massa semi-integral com recheio de lentilha (Foto: Divulgação)

O Complô se forma toda quarta-feira  na UFPE, na marquise do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH), a partir das 10h, além de participar de feiras e eventos de maneira itinerante.

Encomendas de refeições são aceitas e atualmente são oferecidas feijoadas com tofu defumado, bobó de grão de bico ou lentilhesa,  em porções de 500 g ou 1 kg. Os pedidos devem ser feitos com 48h de antecedência para que as leguminosas fiquem de molho o maior tempo possível, evitando, assim, prejuízo na absorção dos nutrientes (entenda aqui a importância do demolho).

Toda a alquimia preparada pelos dois utiliza apenas ingredientes orgânicos e tudo é comprado e escolhido cuidadosamente por quem vai até o fogão preparar. A ideia é a de se formalizar como uma empresa totalmente livre de exploração e de produtos industrializados, o que hoje já é quase zero.

A dupla acrescenta ainda que faz questão de não utilizar o termo “produto” e sim “comida”, trazendo o resultado final pra mais perto do público e da ideia mais completa que ambos têm de alimento. ?

Essa sexta tem pub vegano!

A Bolacha Discos é uma mistura de pub com loja especializada na venda de vinis, cafés e cervejas num ambiente intimista. Alexandre Doca, que está à frente da Bolacha, têm trazido toda sexta-feira empresas locais para venderem comidinhas sem crueldade animal e bater um papo, transformando o espaço num pub vegano.

Uma cerva, um vinil: loja traz novo conceito para as Graças na sexta (15)

Sexta é dia de pub vegano na Bolacha Discos (Foto: Reprodução)

Os convidados desta sexta (18) são Nana e Arthur e #ocomplotaformado! Na bagagem, além das empanadas e esfirras, vão junto caldinhos de feijoada e escondidinho de macaxeira com sururu vegano (valores entre R$ 5 e R$ 12). Então se você quiser se juntar a esse complô do bem, a proposta é: música boa, cervejinha e comidinha para nutrir a alma! ?

Complô Veg – Comida Vegana Inclusiva
Telefone: (081) 99750-9132
Instagram: @comploveg

Bolacha Discos
Rua João Ramos, 50, Graças, Recife – PE
18/05, sexta,  partir das 19h
Telefone: (081) 99689-0992
Instagram: @bolachadiscos

Por Katarine Araújo, do Não Nem Queijo

Katarine Araújo é poeta, às vezes advogada, mas nem sempre foi vegana. Quer mostrar PorAqui, através do canal Não Nem Queijo, que a culinária livre de proteína animal pode ser simples e acessível – e muito saborosa, claro.

Os conteúdos publicados no PorAqui são de autoria de colaboradores eventuais e fixos e não refletem as ideias ou opiniões do PorAqui. Somos uma rede que visa mostrar a pluralidade de bairros, histórias e pessoas