Se fosse para eleger as principais queixas cotidianas de quem mora nas Graças, o campo minado das fezes de cachorros estaria bem ranqueado nessa lista. Muitos donos saem para passear e não recolhem as sujeiras deixadas pelos bichos. O ato, além de ser bem inconivente, é mal educado e perigoso, sem falar que é vetor de transmissão de doenças.  

Cidades como Belo Horizonte (MG), Guarapuava (PR) e Campinas (SP) já experimentaram legislações locais que multam quem deixa os, digamos assim, presentes espalhados pela calçada.

Para inspirar, o PorAqui selecionou algumas ideias para acabar com esse problema. Tudo bem simples e feito por pessoas, para pessoas. E, de agora em diante, nada de botar a culpa no cãozinho.

1. Implantar pontos de distribuição de sacos de lixo

Com as sacolinhas disponíveis, fica mais difícil inventar uma desculpa. Uma ideia legal é fazer parcerias com as empresas presentes no bairro.

(foto: Ivo Gonçalves/Prefeitura de Porto Alegre)

2. Instituir multas para quem não recolher a sujeira

Se o município não tem uma lei formalizada, o bairro pode instituir uma "multa cidadã" e não monetária, organizada pela associação de moradores. Feito as pessoas que vez ou outra deixam recadinhos no parabrisas para motoristas sem noção.

(foto: Carlo Wrede/Agência O Dia)

3. Espalhar plaquinhas humorísticas pelo bairro

Quem sabe não chama a atenção dos donos?!

4. Constranger o vizinho com aquele pegada humorística

Nesse caso, vai ser preciso enfrentar o fedor… 

5. "Decorar" a própria casa para chamar a atenção

6. Fezes como moeda de troca

Há alguns anos no México, uma agência de publicidade resolveu trocar fezes de cachorro por internet grátis. De acordo com a quantidade recolhida, as pessoas ganhavam mais ou menos tempo online.

(foto: Getty Images/Thinkstock)


O jornal de bairro evoluiu. No PorAqui, você encontra estações de conteúdo hiperlocal e colaborativo.

Para baixar o aplicativo: Android e iOS

Sugestões e colaborações: gracas@poraqui.news