Nesse sábado, eu fui seguir a estrada de tijolos amarelos – digo, as placas – e elas me levaram ao Tokyo’s Café.

Decidimos ficar fora, num cantinho, perto da árvore. Caia uma chuva fininha, nada que incomodasse demais. Tomamos sucos, conversamos, fizemos a promessa de voltar.

E essa promessa é o problema.

6 lugares onde você pode me encontrar nas Graças e arredores

Eu já comentei aqui que sou uma criatura de hábitos. Mesmos restaurantes – mesmas mesas – mesmas comidas. Claro, se o restaurante/mesa/comida forem boas. Mas é sempre hora de tentar algo novo. E, como coisas escritas são mais válidas: aqui vai a minha lista de lugares que eu AINDA não fui. Mas irei.

Um desses lugares é o Lalá Café. Eu passo na frente. Ensaio entrar. Penso e repenso. Mas é sempre cheio, acabo seguindo caminho.

Giulietta Café e Chocolateria eu já sigo até no Instagram. E eu quase fui lá um dia desses. E fui vencida pelo argumento de que era perto demais (se é que isso existe!).

O Clandestino Café, lá no Museu do Estado, é outro ponto. Todos elogiam, todos dizem tem que ir e, ta-da, nunca fui.

Também NUNCA pisei no Caverna nas quintas, quando tem o Estrela Negra. Quintas são sempre dias cheios, chego em casa sempre cansada ou eu apenas esqueço. Isso também precisa mudar.

Por fim, preciso ir ao Café na Calçada e a Seresta das Graças. De café – como é possível perceber pela lista acima – eu já gosto. De música. De gente. Daqui.

E também preciso de companhias pra desbravar todos os lugares. E vamos todos juntos!

 

 

Heloiza Montenegro, novata no bairro, pode ser encontrada com a cabeça enfiada num livro, dormindo em um ônibus ou tomando chocolate quente. Ou escrevendo para o seu blog Em 365 dias.

 

Os conteúdos publicados no PorAqui são de autoria de colaboradores eventuais e fixos e não refletem as ideias ou opiniões do PorAqui. Somos uma rede que visa mostrar a pluralidade de bairros, histórias e pessoas.