Por Isabela Faria*

O Café é um encontro mensal de vizinhos, que acontece nos terceiros domingos de cada mês, com uma mesa de café da manhã compartilhado. Ele acontece nas calçadas, é itinerante, tem a intenção de percorrer as regiões do nosso bairro. Tem também a intenção de fortalecer a Associação por Amor às Graças, formada pelos moradores do bairro.

O Café serve para aproximar os vizinhos, para conhecermos mais o nosso bairro e para pensarmos em ações nas rua, para ativá-las e ocupá-las, resgatando a sensação de segurança de que tanto sentimos falta, ainda mais nestes dias de hoje. A ideia é nos unirmos e juntos conseguirmos, de forma leve e saborosa, discutir questões mais pesadas como a segurança no bairro.

Em todo Café, temos o momento do “banquinho”, em que eu subo para resgatar o que foi acordado ou sugerido como prioritário no Café anterior. É um espaço de comunicação e está aberto a todos que queiram sugerir alguma ação ou comunicar algo ligado ao nosso bairro.

Na foto, Isabela Faria (foto: Lúcia Moura/Associação por Amor às Graças)

ORIGEM – O Café surgiu quando aconteceram três casos violentos de assaltos próximos à minha casa. E culminou na demolição da casa da frente, que nos amedrontava com a possibilidade de pessoas poderem se esconder e ficamos refém do medo. 

Então não quis me render a esse sentimento e propus o primeiro Café na Calçada, que teve meus pais como anfitriões aconteceu justo em frente a essa casa demolida (na esquina da Rua do Cupim com a Rua Dona Anunciada), no dia 11 de setembro de 2016. E teve uma adesão incrível!

ANFITRIÕES – Todo Café acontece na calçada de um morador, um anfitrião. Ele fica responsável por receber os vizinhos, oferecer mesa e cadeiras e/ou bancos, lixeiras e banheiro. No final de cada encontro, perguntamos se alguém quer ser o anfitrião do próximo evento. 

Para ser anfitrião, basta ter vontade e dizer, no Café ou no evento do Café no Facebook, que tem interesse. Se for em calçada de edifício, tem que pedir autorização da(o) síndica(o), certo?

(foto: Ana Paula Costa/Associação por Amor às Graças)

 AÇÕES – Confira algumas ações que já foram discutidas e realizadas durante o Café na Calçada:

1. Grupo de alerta no WhatsApp, chamado Vizinhos de olho no bairro .

Vale lembrar que esse não é um grupo de denúncia. Ele serve para que saibamos de ocorrências de furtos e roubos em tempo real, é para nos alertar. Assim evitamos determinadas ruas e estamos atentos para a descrição  dos envolvidos. Não se pode conversar nem trocar ideias por lá, senão sai do grupo. Quem quiser entrar no grupo é só avisar na lista de assinatura que circula nos Cafés, deixando seu contato e interesse.

2. Também fizemos uma feirinha no final do ano passado, que aconteceu na comemoração do Dia do Rio.

3. Neste café de fevereiro (19/2), vamos comemorar com um grito de Carnaval, que foi o desejo de todos, com orquestra que andará pelas ruas inclusive. Fizemos o convite para que as pessoas levem o estandarte dos seus blocos para fazermos um encontro de blocos anárquicos unidos pelo amor às Graças e à folia carnavalesca.

4. Já temos em pauta uma seresta, para acontecer em uma sexta-feira do mês, e um passeio temático à noite, para mapearmos lugares vulneráveis à violência (um Jane's Walk). Mas essas demandas são para março, depois do Carnaval.

OUTRAS CONQUISTAS – Conseguimos o apoio da Frutteto Hortifruti, que nos oferece um toldo e uma mesa com frutas em todos os nossos cafés deste ano de 2017. 

APOIO – E vamos contar com mais! Precisamos de apoio para impressão dos cartazes e panfletos para ajudar na divulgação. Precisamos também de um apoio para termos dois botijões de água mineral no local do evento. Quem quiser apoiar aqui fica a dica!   

*Isabela Faria é designer, integrante da Associação por Amor às Graças e  organizadora dos Cafés na Calçada.


O jornal de bairro evoluiu. No PorAqui, você encontra estações de conteúdo hiperlocal e colaborativo.

Para baixar o aplicativo: Android e iOS

Sugestões e colaborações: gracas@poraqui.news