O PorAqui convidou a youtuber Cecília Barbosa, do canal Bora Veganizar, para um "passeio" pelo bairro das Graças, onde Cecília nasceu, se criou e fez a maior revolução da sua vida, pelo menos até agora: se tornar vegana.

Com uma caneca de café gigante nas mãos, Ceci contou como tudo aconteceu. "Foi da noite pro dia mesmo, mas eu não comia nada de fruta e  verdura. Aí, quando eu decidi, pensei: vou comer o quê, Senhor? Nos primeiros dias, foi uma catástrofe", conta ela, rindo. 

Depois da decisão, que, em junho, completa dois anos, Cecília foi mergulhando cada vez mais no veganismo e hoje leva a filosofia para, no mínimo, os mais de 7 mil assinantes de seu canal no Youtube. 

Ser vegana implica boa dose de paixão e dedicação. Não é tão fácil encontrar locais para comer. No entanto, as Graças parece ser um reduto acolhedor para quem não come nada de origem animal. 

Cecília separou 7 lugares no bairro que fazem parte da sua rotina. E aí, bora veganizar?  
  

1. Graças Delicatessen 

"O massa daqui do bairro é que dá para fazer tudo a pé. O meu universo, hoje em dia,  se restringiu um pouco. Não é em toda padaria que encontro pão pra mim. Pão francês geralmente é sem nada de origem animal, mas a única que faz, com certeza absoluta, é a Graças Delicatessen. Porque, por coincidência ou não, a neta do dono tem intolerância a lactose e a ovo. Por causa disso, ele desenvolveu uma linha gigante sem leite e sem ovo. O povo vem de Piedade (Zona Sul) atrás dessas coisas. Vou muito lá para comprar as coisas do dia a dia, pão… "

Dica de Cecília: o pão doce com goiabada, "é raro de encontrar".

Rua das Creoulas, 322
(81)32225894 ou (81) 32314341
Horário de funcionamento: das 6h às 20h, de domingo a domingo

Foto: Graças Delicatessen/Facebook

2. Sorveteria Santo Doce

"Tem várias opções de sorvete sem leite. Eu amo o de morango silvestre." Para uma porção de 100 gramas de sorvete, o valor é de R$ 7,20.

Rua Doze de Outubro, 15 – Graças
(81) 3241-2034
Horário de funcionamento: de segunda a quinta, das 13h às 21h | sexta, das 13h30 às 21h30 | sábado e domingo, das 13h às 22h

3. Orgânico 22

Do lado da Santo Doce, fica um dos lugares preferidos de Cecília. "O Orgânico 22 tem um café da manhã maravilhoso, aos domingos. Não é só pra vegano, engloba vegetariano, mas lá não tem carne, essas coisas. Só ovo, leite, iogurte. Tem brigadeiro, brownie (R$ 11),  essas coisas que você não encontra nos lugares", fala.

Dica de Cecília: coxinha de jaca (R$ 24, a porção com 10), hambúrguer de shimeji (R$ 19) e café da manhã, por R$ 28, para uma pessoa, que vem com salada de fruta com granola, ragu de cogumelos, café, suco, pão caseiro, geleia e tomate marinado. 

"Domingo fica lotado. Tem que chegar cedo, senão não pega mesa", avisa.

Rua Doze de Outubro, 15 – Graças
(81) 99283-6085
Horário de funcionamento: de quarta a sábado, das 16h30 às 21h | domingo, das 8h às 12h e das 16h30 às 21h | fecha segunda e terça

Brownie vegano do Orgânico 22  (Foto: Orgânico 22/Facebook)

4. Quina do Futuro

Quem disse que vegano não pode comer sushi? Pode, sim! No lugar do peixe, vai algum legume que, depois de marinado, fica com um sabor parecido. André Saburó, do Quina do Futuro, tem impressionado Cecília com suas criações. 

"O que ele faz no sushi vegano é surreal. Porque fica muito igual, para quem tem ainda essa necessidade. Fica bem parecido. Ele deixa marinando, acaba pegando o gosto."

Rua Xavier Marques, 134
(81)3241-9589
Horário de funcionamento: almoço (de segunda a sexta, das 11h30 às 15h, e sábados, das 12h às 15h30) | jantar ( de segunda a quinta, das 18h às 23h, e sextas e sábados, das 18h à 0h)

Sushi vegano: no lugar do peixe, berinjela, tomate, beterraba, pepino, cenoura e cebolinha. (Foto: Quina do Futuro/Facebook)

5. Café Santa Clara

Gostar de comida regional não é nenhum pecado, desde que com os acompanhamentos certos. Por exemplo, saindo de cena o queijo de coalho e a carne de sol, o cuscuz fica 100% vegano se comido puro ou com leite de coco (R$ 11), a versão preferida de Cecília.

A mesma coisa acontece com a tapioca de coco, que no Café Santa Clara custa R$ 9,00. Cecília também gosta de lá para marcar reuniões de trabalho. 

Rua das Graças, 262, próximo à igreja
(81) 3048-2233
Horário de funcionamento: todos os dias, das  8h às 21h

6. Burgomestre

Surpresa para veganos e carnívoros, o Burgomestre, esse mesmo que criou o maior hambúrguer da cidade, o Burgomonstro, está trazendo para o cardápio opções veganas.

Na última vez que foi lá, Cecília soube que a procura por produtos veganos chega a superar a de hambúrgueres em alguns dias!   "Uma vez, um atendente me disse que teve um sábado que saiu dois normais (ou seja, de carne), o resto todos veganos", diz, celebrando.  

Cecília confessa uma culpa: "Lá tem cachorro-quente. Aí comi cachorro-quente, maionese e batata frita, apesar de fazer de tudo pra não comer essas comidas. Mas tem hora que não tem jeito". O no dog, como é chamado a versão vegana, custa R$ 9,55 e é a prova que fast food tem apelo até entre os vegans.

Rua Joaquim Nabuco, 574
(81) 3421-3066
Horário de funcionamento: de segunda a quinta, das 10h30 à 0h | sexta a domingo, até 2h

7. Feirinha orgânica

Para fechar, Cecília indica, como não poderia deixar de ser, a feirinha orgânica das Graças. Tem que chegar cedo mesmo, madrugar, para pegar os melhores produtos.

"Eu vou umas 4h30 da manhã. É o melhor pastel de  jaca do mundo inteiro. Como o pastel e depois vou dar uma olhada no que tem. Compro as coisas do suco verde, que eu não tomo todo dia, mas tomo. E o que tem na feira. Tem dia que tem amora, tem dia que não tem. É da época."

Rua Souza de Andrade, por trás do Colégio São Luís
Horário de funcionamento: apenas aos sábados, das 4h às 11h


O jornal de bairro evoluiu. No PorAqui, você encontra estações de conteúdo hiperlocal e colaborativo.

Para baixar o aplicativo: Android iOS

Sugestões e colaborações: gracas@poraqui.news ou (81) 9.8173.9108 (WhatsApp)