Tem um imóvel no bairro das Graças, Zona Norte do Recife? Pois saiba que ele corre um sério risco de ter seu preço de venda valorizado com a chegada da segunda etapa do Parque Capibaribe. É o que dizem corretores de imóveis da região.

Frederico Mendonça, diretor da Arrecifes Imóveis (Rua Joaquim Nabuco, 554, Graças), avisa: “Vai valorizar sim. Principalmente os imóveis que estão no entorno do projeto”.

“Uma obra dessa deixa o entorno do Rio Capibaribe mais acessível à população. O Parque Capibaribe vai trazer melhorias em aspectos turísticos, na mobilidade e na convivência social”, diz.

Verticalização

Segundo ele, o Recife é uma das capitais com menor extensão territorial do Brasil, o que favoreceu à verticalização, ou seja, construção de prédios altos, de até 40 andares. “O que puder vir de área verde, de convivência, faz diferença”, fala Frederico Mendonça, que, além de corretor de imóveis, é perito avaliador e advogado.

Ele acredita que os imóveis da região devem valorizar cerca de 5%, com variações em função da localização da casa ou apartamento.

No entanto, Frederico Mendonça defende que não dá para esperar os cerca de 18 meses que a obra levará para ficar pronta. “O mercado está frio e quem resolve vender ou comprar o faz por necessidade”, afirma. “Se eu pudesse dar uma dica, seria esta: quem quiser investir nas Graças, o faça, pois a tendência é só valorizar.”

Fábio Pessoa, diretor da Gavôa Negócios Imobiliários, na Ilha do Leite, faz coro: “Creio que o Parque Capibaribe será um atrativo a mais para localidade, podendo gerar um aumento na demanda por moradias residenciais, por ser mais um espaço de entretenimento, lazer para a população, podendo, ainda, impactar em negócios locais, com a finalização total da obra”.

Vende-se

Nara Vila Nova é proprietária de um apartamento de 140 m² na Rua das Creoulas. Está preocupada com a crise e não quer esperar a possível valorização do imóvel.   “Estou vendendo por um preço bom e lamento ter que mudar, pois o bairro é maravilhoso, perto de tudo, e com o parque ficará melhor.”

Para Fábio Pessoa, da Gavôa, o cenário está mais otimista.  “A retomada do crescimento da economia e o aumento da confiança do consumidor também impactam nos investimentos locais e no Brasil como um todo”, analisa.

Parque Capibaribe

Foto: Prefeitura do Recife/divulgação

A obra, que tem prazo de execução de 18 meses e teve início em 1º de junho de 2017, trará para o bairro das Graças uma faixa única para carros, compartilhada com bicicletas, nos trechos da Ponte da Capunga até a Rua Dom Sebastião Leme e da Rua Manoel de Almeida em direção à Ponte da Torre.

Também haverá  passarelas sob as pontes, um mirante na Rua Dom Sebastião Leme e dois píeres para embarcações.