Mais um dos pequenos fatos sobre mim que vocês, leitores, talvez não saibam: eu odeio acordar cedo.

Passei o ensino médio inteiro estudando à tarde. Minha graduação inteira foi durante a noite. Acordar cedo é um hábito que eu não possuo. Além disso, meu namorado é outro ser das trevas e nossas melhores conversas são sempre madrugada a fora. Aos 27 anos, descobri que acordar cedo não funciona para mim, por mais textos falando das coisas maravilhosas que existem por aí pela manhã (e sim, já tentei dormir cedo. Eu só fazia era dormir ainda mais).

Sobre quando eu mesma me tornei Graças

Porém, como já diria o Conde do Brega na frase titulo desse texto: ninguém é perfeito e a vida é assim. Minhas aulas do mestrado começaram e eu resolvi encarar uma aula na UFPE, 8h da manhã.

Ao checar o Cittamobi, percebi que o ônibus que eu pego sempre ia demorar demais. Resolvi arriscar uma caminhada até a Rosa e Silva. E eu vi um outro mundo.

Vi crianças indo para a escola com mais disposição do que eu. Achei engraçado ver essas crianças carregando lancheiras (assim como eu!). Abri espaço para elas passarem com seus passos rápidos, com fardas dos colégios da região. Uma delas até me deu bom dia! E eu, no alto da minha velocidade – 100 km por hora, vejam só! – ajudei uma delas a passar sua mochila de personagem entre uma calçada e uma árvore.

Graças para iniciantes: entre histórias, lugares e árvores

Eu vi pessoas na parada. Indo para médicos, trabalho, universidade, enquanto – além de coragem – eu procurava um lixeiro para deixar os restos da maçã verde que eu insistia em chamar de café da manhã (não achei).

Enquanto eu pensava no tanto de café que eu havia feito e quanta vontade eu tinha de tomar mais alguns copos, eu vi o mundo andar.

E vi também que ir pra UFPE de Dois Irmãos/Rui Barbosa é uma péssima idéia. Mas ai já é assunto para outro dia…

 

Heloiza Montenegro, novata no bairro, pode ser encontrada com a cabeça enfiada num livro, dormindo em um ônibus ou tomando chocolate quente. Ou escrevendo para o seu blog Em 365 dias.

 

Os conteúdos publicados no PorAqui são de autoria de colaboradores eventuais e fixos e não refletem as ideias ou opiniões do PorAqui. Somos uma rede que visa mostrar a pluralidade de bairros, histórias e pessoas.