Toda quinta-feira é assim. Por volta das 20h, cerca de 70 motos da marca mais cultuada do planeta, a Harley-Davidson, começam a chegar no Maverick Diner, na Rua Amélia, Graças, exatamente no cruzamento da Av. Rui Barbosa, uma das maiores da Zona Norte do Recife.

João Guido é o organizador do encontro, que conta com a parceria dos sócios da Maverick, Cristóvão Moura e Bruna Costa. Dono de uma oficina de costumização de motocicletas e capacetes, a Lata Nova Motorcycles (Estrada Velha de Água Fria, 721, Tamarineira), Guido queria que um evento como esse saísse um pouco do circuito da Zona Sul e chegasse à Zona Norte.

“Todos os encontros que ocorriam eram predominantemente na Zona Sul e todos que tentavam fazer na Zona Norte não tinham sucesso”, diz Guido.

“Como eu gosto de um desafio, vou fazer um encontro na Zona Norte e vai dar gente”, pensou há cerca de seis meses, quando começaram as reuniões à base de gasolina e hambúrguer no Maverick. “Hoje, graças aos amigos, ele já é consagrado como o maior do Recife.”

O anfitrião é um dos sócios do Maverick, Cristóvão Moura. “Eu sempre andei de moto, desde adolescente. Quando abri o trailler, comecei a trazer os amigos mais próximos pra frequentar aqui. Quando Guido chegou com a iniciativa de trazer o encontro oficial pra cá, eu achei excelente porque uniu o meu trabalho, o meu negócio, com a minha paixão.”

O guia nem tão nerd assim das Graças e da Jaqueira

Morador das Graças e motociclista

Eduardo Beltrame é morador das Graças há anos, um aficionado por Harley-Davidson e participante ativo dos eventos de quinta. “Aqui é ponto de encontro. A gente fica batendo papo até as 21h, 22h”, diz. Segundo ele, o itinerário é combinado na hora, Olinda, Marco Zero, varia. Também não tem hora pra acabar, às vezes varam a madrugada passeando de moto.

(Foto: Paula Melo/PorAqui)

Para ele, a motocicleta é um veículo seguro. “As motos Harley-Davidson são muito respeitadas, é uma moto muito grande, chama muita atenção pelo aspecto e pelo barulho”, diz Eduardo. “Nosso grupo não anda de moto, a gente desfila”, brinca.

“Quando a gente passa, chama muita atenção, pelas nossas roupas, pela beleza das motos, pelo som. Todo mundo quer ver”, fala Eduardo, que é dentista de profissão e motociclista desde os 17 (hoje tem 58).

Hambúrguer x Motos

Pergunto para Guido e Cristóvão o que tem a ver hambúrguer com motocicletas. “É um pouco da Kustom Kulture, um movimento mundial que envolve motos, costumização, cultura rock’n roll, hambúrguer, comida artesanal”, informa Guido.

“Eu completaria dizendo que a identidade do  Maverick combina com a identidade da Harley-Davidson, com a identidade Kustom Kulture, porque foi um de nossos objetivos desde a concepção da ideia do Maverick. Por eu andar de moto e gostar muito de rock’n roll queria criar uma identidade do negócio que unisse as duas coisas”, analisa Cristóvão.

Dica do cardápio

Depois de tanto se falar em moto, claro que não podia faltar a dica do cardápio.

Foto: Maverick/Divulgação

Os nomes dos sanduíches são inspirados em artistas da música e do cinema dos anos 50 e 60. Os mais pedidos nas noites de quinta são o Jerry Lee Lewis Burger (blend de carnes de 180g, queijo gruyére, tiras de bacon, rúcula, tomate, cebola, picles e molho spicy beer mustard no pão com gergelim) e o Johnny Cash Burger (blend de carnes de 180g, queijo muçarela, tiras de bacon, alface, tomate, cebola e molho barbecue no pão brioche).

Os sanduíches custam R$ 26 e R$ 18, respectivamente.

Maverick
Av. Rui Barbosa, esquina com Rua Amélia, 896 – Graças, Recife/PE
Horário de funcionamento: quarta, quinta e domingo, das 18h às 23h; sexta e sábado até 0h. Fecha segunda e terça.