Este não tem sido um ano lucrativo para os cofres públicos e o arrefecimento na arrecadação de tributos, sejam eles federais, estaduais e municipais, tem incentivado os burocratas do FISCO a criarem novas estratégias para enfrentar essa situação.

Programas de regularização tributária e elevação de impostos são a saída mais comum apontada pelos técnicos do poder público. Era assim até semana passada. Ouvi da boca de um auditor fiscal do Recife que a prefeitura, junto com a Receita Federal, está preparando uma nova contribuição compulsória, o ISSex – Imposto Sobre Sexta.

Carros terão de pagar IPTU no Recife

O plano já começou a ser implantado. Pode ver, toda SEXta-farra, tem aumento da gasolina. Daqui para pro meio de dezembro, vão começar os reajustes em cima da cana. Até o fim do ano, motel vai ter as tarifas aumentadas consideravelmente. Sarrar vai ficar mais caro, vu? Não vou nem entrar na taxação sobre o Derby Prata para não entristecer quem estiver lendo.

Na contramão dessas iniciativas, prevejo o surgimento de sonegadores de fim de semana. Gente que vai substituir as fotos do “surrasco” e da happy hour no posto de gasolina por montagens no escritório, fazendo “serão”.

As hashtags “sextou” e “partiu” vão dar lugar a discursos motivacionais ou legendas do tipo: “job is the new black”. O que vai ter de indivíduo colocando status de “ocupado” no GTalk e WhatsApp não dá nem pra calcular.

Tudo isso me lembra de ditado bastante sabido: quem come calado almoça e janta. Talvez, com a cobrança desse novo tributo, as turmas voltem a aproveitar mais os eventos in loco e deixem a ansiedade e a afobação por se amostrar um pouco de lado.

Talvez eu até comece a incentivar taxação de curtidas e comentários só pra ver a vida mais analógica, porque, ultimamente, só com login e senha.

 

Daniel Barros é recifense, formado em Letras pela UFPE. Atualmente mora no Derby, mas é cria da CDU. Come e bebe em demasia. Já tomou muita cerveja no Mercado da Encruzilhada.  Nos intervalos, anda de ônibus. Nesta vida, veio a passeio, mas ficou preso em Abreu e Lima. É conteudista colaborador do PorAqui para desperdiçar seu tempo.

 

Os conteúdos publicados no PorAqui são de autoria de colaboradores eventuais e fixos e não refletem as ideias ou opiniões do PorAqui. Somos uma rede que visa mostrar a pluralidade de bairros, histórias e pessoas.