A noite desta quinta (29) foi agitada no final da Rua das Pernambucanas, ali na beira do Capibaribe. Nem a chuva que ora caía torrencialmente, ora minguava, atrapalhou a festa junina organizada pela Associação por Amor às Graças, o São Pedro é nas Graças.

No toldo montado junto ao Graças Food Park, mais de 200 pessoas se espremiam para dançar um forró – ao som do Trio Expresso, que na verdade tinha seis integrantes -, comer um daqueles quitutes juninos dispostos na mesa coletiva e até mandar um bilhete pelo Correio Elegante.

mesa com quitutes juninos

Alexandre de Melo Branco é morador do bairro há mais de 30 anos e estava na festa com a mulher, Cristina, a filha, o genro e a neta (todos residentes nas Graças). “Estamos lembrando dos velhos tempos e também dos atuais. Estamos sempre participando das ações da Associação por Amor às Graças. Lembrando do São João do Álamo [edifício localizado na Rua da Amizade], que tinha forró pé de serra, rainha do milho e barraquinha de comida.”

União

Para a presidente da associação de moradores e uma das organizadoras do evento, Lúcia Moura, a festa estava “belíssima”.

O bairro mostra que quer união. Pessoas de outros bairros estão chegando e isso é muito positivo para a cidade.

Outra integrante da associação, Isabela Faria, responsável pelo setor de eventos do grupo, comemorou o fato de que a festa foi organizada coletivamente.

As bandeirinhas que decoravam o salão improvisado foram feitas por crianças no espaço disponibilizado pela Casa das Asas. Outra parte foi produzida por uma ex-moradora do bairro, Rejane Trindade. O Graças Food Park deu um grande apoio também.

O Empório Pernambucano trouxe, para vender, produtos do interior e também uma mocinha que circulava distribuindo bilhetes de amor através do Correio Elegante.

Para arrecadar o dinheiro para o evento como um todo, várias pessoas fizeram doações antecipadas. Na hora da festa, passaram o chapéu para recolher o que faltava. Sobrou R$ 124, que devem ir para uma poupança.

“Foi um sucesso. Vimos que basta fazer um evento que o povo ocupa a rua. Deu gente de outros bairros, gente do próprio bairro que nunca veio para as ações da associação. É muito bom ver gente descobrindo a Associação por Amor às Graças. Estávamos todos muito felizes, prestigiando a ação de rua”, diz Isabela.

O argentino Javier Martínez é marido de Isabela.

“Não tem uma festa assim na Argentina. Embora venha do país do tango, não estou familiarizado com o forró”, disse.

https://youtu.be/l2x_MPFWK20

Falando em forró, o fim da festa foi marcado por uma quadrilha que nunca ensaiou. Crianças soltaram fogos – alguns adultos também. A ausência da fogueira não foi notada. 😉

Depoimento

família no São Pedro das Graças
Marcos, Sarah e Ana Laura Oliveira são paulistanos, mas moram nas Graças

 

O fato de ser uma festa organizada pelos moradores é algo que me deixa muito feliz e até emocionada. Nesse mundo maluco de hoje, esse tipo de relação resgata o que vivi na minha infância, em que brincávamos na rua, andávamos de bicicleta pelo bairro, jogávamos bola e fazíamos festas desse jeitinho… Cada um colaborando um pouquinho, principalmente com alegria e satisfação por estarmos juntos.
A associação das Graças é algo que me traz esperanças de dias melhores em meio a tanta violência! E é algo que fico com dó de deixar pra trás, agora que estou indo embora de Recife, pois é uma das melhores experiências da minha família por aqui.
Ana Laura Oliveira é paulistana, mora com o marido e a filha na Rua da Amizade. A família se muda em agosto para a Itália e aproveitou bastante o São Pedro.

Seresta

Anota aí na agenda: na próxima quinta, 6 de julho, já tem seresta no bairro. Acompanhe o PorAqui para saber mais detalhes em breve.