Uma volta para tomar um sorvete acabou transformando-se numa aventura única para a família da psicóloga Adriana Monteiro, que passava de carro pelas proximidades do Capibaribe, na altura da Rua das Pernambucanas. Eram 22h30 de 1º de janeiro quando ela, o marido e os dois filhos avistaram o bicho que deu nome ao rio. 

“Estávamos voltando de um passeio quando alguém gritou: 'Olha a capivara!'. Ficamos emocionados. Foi um presente da natureza no primeiro dia do ano”, conta Adriana, que mora no bairro desde criança. 

O marido dela, Renato Marques, é servidor público e artista plástico e também comoveu-se com o que viu. “Nós adoramos o Recife, fazemos tudo o que podemos para preservar o lugar onde moramos. Ter um rio dentro da cidade, poder apreciar a beleza natural de perto é um presente. Ver a capivara foi maravilhoso”, fala. 

O casal gravou o vídeo que ilustra esta história e compartilhou com o PorAqui:

Essa não foi a primeira aparição de uma capivara tão próxima à área urbana. Relatos semelhantes surgem vez ou outra. Maria Adélia de Oliveira é professora da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) e especialista em comportamento animal. Segundo ela, as capivaras estarem aparecendo é um ótimo sinal. 

“Significa que há alimento suficiente, e os nascimentos indicam saúde e razoável nível de bem-estar para enfrentar o desafio de criar filhotes. É o rio das capivaras merecendo novamente seu título”, comemora. 

Maria Adélia detalha que não existe uma contagem oficial, mas que já foram avistadas cerca de 30 capivaras na área que vai da Caxangá (Zona Oeste) até o Palácio do Campo das Princesas (área central).

LEIA TAMBÉM: Via Parque das Graças prevê construção de refúgio para as capivaras


O jornal de bairro evoluiu. No PorAqui, você encontra estações de conteúdo hiperlocal e colaborativo.

Baixe agora o app gratuito e cadastre-se: Android e iOS

Sugestões e colaborações: gracas@poraqui.news