Três dias após um homem negro ser acusado de portar uma arma e passar por constrangimentos, cerca de 30 pessoas se reuniram na frente da Casa dos Frios em ato de protesto, nesta segunda (23). Carregando faixas com dizeres como “Casa do Racismo” e bandeiras do movimento negro, entraram pacificamente no estabelecimento e disseram palavras de ordem.

“Basta de racismo! Não existe um padrão de ladrão. Não tem essa de cabelo e cor de pele. Temos que desconstruir isso. A luta contra o racismo não é só da população negra, é de todos”, afirmou Fabiana Maria, vice-presidente estadual da Unegro (União de Negros pela Igualdade).

“Esse ato é uma forma de abraçar o negro ou a negra que sofreu algum tipo de preconceito. Precisamos nos rebelar contra o racismo”, completou.

Na sexta-feira, 21, por volta das 20h30, o motorista Mário Ferreira, 36, estava a serviço quando foi à Casa dos Frios com a encomenda de 20 bolos de rolos, que o patrão, um advogado, levaria de presente a amigos em viagem à Alemanha. Os bolos de rolo nunca chegaram ao destino.

A história de Mário foi parar nas redes sociais e causou revolta entre os internautas, que propuseram um boicote à loja e criaram uma manifestação de apoio a Mário. “Estou muito comovido com o que o que todos estão fazendo. Para mim, sempre foi normal o pessoal olhar pra mim como se dissesse ‘o que ele está fazendo aqui’”, disse. 

LEIA TAMBÉM:

Casa dos Frios volta atrás e pede desculpas

Mário Ferreira: 'Eu só quero que não façam mais isso com outras pessoas'


O jornal de bairro evoluiu. No PorAqui, você encontra estações de conteúdo hiperlocal e colaborativo.

Baixe agora o app gratuito e cadastre-se: Android e iOS

Sugestões e colaborações: gracas@poraqui.news