Historicamente, Pernambuco sempre foi um estado atrevido. Tivemos a Conspiração dos Suassunas, a Revolução Pernambucana, a Confederação do Equador, o Quilombo dos Palmares, a Insurreição Pernambucana. Foram muitas revoltas em que parte dos pernambucanos queriam se livrar dos portugueses ou dos holandeses.

E, durante 75 dias, lá em 1817, Pernambuco foi mesmo um país – junto com parte da Bahia, Ceará, Rio Grande do Norte e Paraíba. Ao final do período, derrotado, Pernambuco perdeu em represália o então território da comarca de Alagoas, que pertencia ao estado.

Leia também
Vai dar praia: próximos meses são de altas temperaturas e poucas chuvas

No dia da Independência do Brasil, fazemos um exercício de suposições, estatísticas e alguma adivinhação para ver como Pernambuco seria se, hoje, fosse independente do país. Não que a gente queira nem apoie isso: mas a gente é pernambucano e adora confabular com mania de grandeza. Spoiler: não seria melhor não, viu…

Extensão e população 

Com 98.149 km², Pernambuco seria o 108º maior país do mundo, ficando atrás da Coréia do Sul (com 99.016 km²) e à frente da Hungria (93.032 km²).

Pernambuco tem uma população estimada para 2018 de 9.496.294, de acordo com o IBGE. Isso coloca o hipotético país Pernambuco em 89º na lista de países mais populosos, entre Suécia e Azerbaijão.

Na Economia

No ano passado, o Produto Interno Bruto de Pernambuco foi de R$ 172,3 bilhões. Mas vamos fazer a comparação usando dados de 2015, já que tem lista mundial para comparação na Wikipedia. E naquele ano foi de R$ 155,5 bilhões (US$ 50,161 bi, à época). O que coloca Pernambuco na 75ª posição, entre Luxemburgo (US$ 57,423) e Bielorússia (US$ 54, 609) de acordo com dados do Fundo Monetário Internacional de 2015.

Nesta lista, o Brasil ocupa a nono lugar.

Se fomos ver pelo PIB per capita, também com dados de 2015, Pernambuco e seus US$ 5.417 anuais para cada morador em 2015 deixaria este hipotético país em 91º entre os 200 países analisados, na frente de Fiji (US$ 5.374) e atrás da Jordânia (US$ 5,513).

Na mesma lista, o Brasil com renda per capita de US$ 13.670, ocupa a 50ª posição do ranking.

No desenvolvimento social

O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de Pernambuco é de 0.673, o que é considerado médio. O do Brasil é de 0,754, o que o coloca na 79ª posição e é considerado alto.

Isolado, Pernambuco estaria lá atrás, na 119ª posição, atrás da Bolívia e à frente da África do Sul.

No futebol

De acordo com levamento do jornalista Cassio Zirpoli, se Pernambuco fosse um país desde a Revolução de 1817, os times pernambucanos teriam tido 129 participações na Taça Libertadores, oito na extinta Copa Conmebol e 46 na Sul-Americana.

Na cultura

No cinema, o pequeno país Pernambuco teria pelo menos um cidadão premiado: Eduardo Bivar, que participou da equipe de efeitos visuais de Blade Runner 2049, ganhadora da estatueta neste ano. Conheça aqui a história dele. 

Em 2014, O som ao redor, de Kleber Mendonça Filho, teria sido o concorrente pernambucano, e não brasileiro, ao Oscar. Teríamos também indicados ao Grammy, como o maestro Moacir dos Santos. E vários indicados e ganhadores do Grammy Latino, como Lenine e Alceu Valença.