Dale, boy, tudo tranquilo? Nossas musas MC Loma e as Gêmeas Lacração trouxeram à tona ao resto do Brasil algumas expressões que antes só quem era recifense de raiz conhecia. Aproveitando o embalo do cebruthius internacionalizado, vamos apresentar 21 gírias que utilizamos quase que diariamente.

Então, senta aí, bença, fica suave e se liga na lista. Ah, e como escama é só de peixe, crianças ou pessoas que não gostem de palavrões devem ficar longe do post. Tejem avisados.

1. 

 

Apesar de não ser uma expressão estritamente recifense (com o advento da música sertaneja universitária, nosso apelido carinhoso foi difundido Brasil a fora), bebê ainda se mantém como forma afetuosa e despretensiosa de chamar aquela garota ou garoto especial. Você pode também utilizar este substantivo masculino e feminino (isso que significa o s.m+f no canto direito inferior da foto) de uma maneira mais informal, com intuito de estreitar laços com semiconhecidos.

2. 

 

 

Expressão de espanto, perplexidade, sobressalto. É usada quando algo de errado não está certo ou algo de certo está errado. Provoca no interlocutor uma sensação de descontentamento. Pode também servir de interjeição (interj.) em situações desagradáveis.

3. 

Insatisfação é a palavra desta expressão. Ela demonstra que o interlocutor passou por uma situação de desagrado, como quando o ônibus queima a parada e sai cantando o pneu.

4. 

Expressão utilizada em situações parecidas com a do “eita, carai”. Demonstra perplexidade, porém muito mais relacionada à quantificação de coisas, geralmente em situações nas quais a intensidade de algo pode se sobressair à esperada. Um bom exemplo é “Tá cá porra, hoje o Terminal do Joana Bezerra tá foda”.

5. 

Expressão de descrédito, desconfiança. É quando algo não parece real ao ser proferido pelo interlocutor. É uma expressão muito utilizada em mesas de bares quando a discussão sobre o título do Sport de 87 vem à tona.

6. 

Substantivo universal que serve de vocativo para quase todas as pessoas da nossa sociedade, independentemente de idade e sexo, apesar de ser uma corruptela da palavra “velho”. Pode servir também como introdução a algum assunto, quando aplicada de forma mais longa e pausada: “véeei…”.

7. 


Verbo transitivo direto (vtd) usado como intransitivo, que exprime uma sensação complexa que transita entre a repreensão e a não necessidade. Um bom exemplo é quando alguém comete algum bullying levemente engraçado mas que precisa ser repreendido, pois bullying nunca é certo.

8. 

Expressão de concordância entre os interlocutores. Demonstra consentimento ao que foi dito anteriormente.

9. 

Mais uma das expressões extremamente complexas do nosso léxico: pode ser utilizada em momentos de descrença e descrédito, mas também pode ser utilizada em situações de consentimento.

10. 

Particularmente, minha expressão favorita do universo pernambucano. Donzelo é um substantivo masculino (sm) que pode ser aplicado sob a forma positiva ou negativa. Um indivíduo donzelo pode ser considerado alguém tabacudo, infantil, bobo, mas a forma que isso é vista pela sociedade pode variar conforme as situações.

11. 

Muito se assemelha em significância à expressão donzelo. Tabacudo é alguém que é/faz coisas bobas ao longo de sua trajetória na Terra. Pode ser também algo positivo, ex.: um tabacudo engraçado, que nos faz rir, ou um tabacudo idiota, que buzina pra mulher na rua.

12. 

Origem de todos os insultos universais, o fi de rapariga representa o pernambuquês em sua mais pura forma. É aquele xingamento que não é tão pesado de se fazer, mas que pode gerar brigas intermináveis nos colégios. Adjetivo a ser usado com parcimônia.

13. 

Expressão utilizada com um tom de deboche, então cuidado ao utilizá-la. Apesar do substantivo estar flexionado no feminino, a expressão é comumente utilizada em referência a indivíduos do gênero masculino.

14. 

Outro vocativo muito utilizado em nossa sociedade, o mermão aparece como uma alternativa ao véi. Também pode ser utilizado nos mais variados momentos da interação humana.

15. 

Com um quê de tabacudo e donzelo, o abestalhado também é um adjetivo comumente utilizado em nossas terras. É aquela pessoa boba.

16. 

Essa expressão tem os mesmos usos da “tá cá porra”, mas sua intonação pode ser feita de maneira mais enfática por se tratar de uma única expressão que engloba quatro palavras em uma só. É necessário um rebuscamento na fala para atingir a cadência ideal.

17. 

Expressão de quantidade. Demonstra surpresa/perplexidade ao se deparar com certas situações.

18. 

Cocó é uma palavra que tem que vir precedida de um verbo de ação: você faz/arma/bota uma cocó pra alguém ou alguma coisa. Armar a cocó significa dedurar seu colega. O cocozeiro (aquele que fez a cocó) é tido como pessoa vacilona.

19. 

Como explicar esse sentimento tão único? Mazela é quando você acorda sem vontade de acordar, mas também é um sentimento que pode aparecer ao longo do dia, como logo depois do almoço. Uma mazela do carai é essa situação elevada a todas as potências. Nada bom.

20. 

Substantivo feminino (sf) que pode significar um local físico ou uma situação hipotética ou real. Grea significa aquela boa e velha farra, podendo ser também positiva (“Hoje vai ter uma grea massa lá em casa”) ou negativo (Que grea do carai meu vizinho fez ontem, não consegui dormir”).

21.  

Fechando com chave de ouro, bença é o vocativo universal de todos e todas. Não há no Recife e região uma única pessoa que não possa ser chamada de bença.