Quem vê o silêncio em torno da Lagoa do Araçá, na Imbiribeira, Zona Sul do Recife, não sabe do barulho que foi para preservá-la. Esta história começa em 1955, quando a Prefeitura do Recife autorizou uma imobiliária a comercializar 110 lotes em volta da lagoa sob a condição de que a mesma deveria ser preservada. No entanto, 26 anos depois, uma moradora da área, corretora de imóveis, tomou conhecimento de um projeto de total aterramento.

Lagoa do Araçá: o quiosque incendiado e restaurado por vizinhos e pela polícia

Essa moradora, Lourdes Tenório, mobilizou os vizinhos e criaram a Associação Amigos da Lagoa do Araçá, que conseguiu, de cara, a preservação da lagoa. No entanto, uma segunda luta começara imediatamente e só teve fim 13 anos depois, com a urbanização da área.

(foto: Geraldo Lélis/acervo PorAqui)

Logo em 1981, o urbanista Edgar D’Amorim — o mesmo que havia condicionado a construção à preservação do meio ambiente, em 1955 — elaborou um parecer ratificando a obrigação do loteador de construir uma rodovia de contorno, várias praças e jardins, retificar a calha do Rio Tejipió, construir o canal e do cais da Lagoa do Araçá.

Recife e Olinda: uma declaração de amor e centenas de histórias PorAqui

Mas a determinação mais uma vez não foi cumprida, e o loteador continuava se preparando para vender lotes na lagoa e não executava as obras de urbanização. O movimento em defesa da lagoa foi ganhando corpo, e sua voz passou a ecoar mais pelas outras regiões da cidade. E o então prefeito, Joaquim Francisco, interviu em 1984. Três anos depois, a Emlurb chegou a apresentar um projeto aos moradores, que foi aprovado, mas não saiu do papel.

De lá pra cá, já se tentou utilizar a lagoa como viveiro de camarões, o que foi rejeitado pelos moradores. Nessa pisadinha, os vizinhos da lagoa não desistiram e foram, ano a ano, apresentando solicitações e abaixo-assinado, até que, em junho de 1993, o prefeito Jarbas Vasconcelos visitou Dona Lourdes — aquela que iniciou o movimento — para anunciar o início das obras de urbanização da área.

Em dezembro de 1994, era inaugurado o Parque Ecológico Lagoa do Araçá, que consistia na urbanização e no paisagismo em torno da lagoa. Desde então, a área conta com dois parques infantis, um minicampo de futebol, uma quadra esportiva, área de jogos de mesa, pista de skate, academias, pista de cooper, dois mirantes, quatro quiosques de lanches, e um Núcleo de Segurança da Polícia Militar.