Nos dias em que Recife vira Raincife e a cidade, que não se dá muito bem com a chuva, praticamente entra em colapso, há certas situações que todo mundo passa, para e se pergunta: Por que, ó, São Pedro? ?

Confira (e se identifique!) com 7 situações que todo recifense já passou (ou vai passar) em um dia chuva na capital:

6 mantras que não saem da cabeça de quem frequenta a Conde da Boa Vista

1. Andar na Conde da Boa Vista com muita gente usando guarda-chuva e trombar em todo mundo

Muitas coisas evoluíram nessa caminhada humana pelo planeta Terra, menos o guarda-chuva. Pense num troço sem jeito, que não é feito pra conviver em sociedade. No Recife, sair trombando com todo mundo na Conde da Boa Vista lotada às 7h da manhã é apenas mais um teste de paciência ao qual somos submetidos. ?

2. Disputar lugar seco embaixo do ponto de ônibus

Se (e somente se) o danado do BRT tivesse dado certo, esse problema estaria parcialmente solucionado. Mas a realidade é outra: um UFC nas paradas de ônibus pra ver quem consegue arrumar um lugar ao sol (e seco). E ainda ter que ficar mais amontoado do que o normal.

3. Xingar o motorista que passa jogando água nos pedestres

Não pretendo entrar no mérito do caráter do indivíduo que passa próximo à calçada e molha todo mundo: que ele é um donzelo, todo mundo já sabe. Mas a raiva que dá e a vontade de atirar um ovo no carro do infeliz que faz isso é real.

A boa notícia é que a situação aproxima as pessoas e ainda aguça o sentimento de coletividade, já que todo mundo faz um coro de xingamentos ao motorista. ?

4. Como todo recifense é feito de açúcar, é só chover que fecham todas as janelas do ônibus

Que é muito diferente de um dia de sol, quando você pode ficar quem nem o Cumpadi Washington, de boinha, olhando pela janela e apreciando o trânsito

Não dá pra saber se é medo de resfriado ou vontade de aquecer o coração ao lado de todos os estranhos que estão em volta, mas se tem uma coisa que recifense adora é fazer uma sauna coletiva quando chove.

Bora abrir as janelas, renovar os ares e se molhar um pouco? Apesar do toró, Recife continua fazendo 30 GRAUS.

5. Pedir pra cancelar a aula/faltar no trabalho (principalmente se for no Centro)

Se você é dependente do transporte público, sabe o caos que se instala (principalmente) nos dias de chuva. Tudo fica cheio, tudo fica atrasado, tudo fica pior. Então, professor/patrão/colega, não leve a mal: não é preguiça e vontade de ficar em casa, não. E só que vai ser danado pra chegar e voltar mesmo. ?

6. Com que roupa eu vou?

Em dia de chuva, só existem dois tipos de recifense: o que vê que tá chovendo, mete um chinelo no pé e vai à luta, e o que bota o guarda-roupa de inverno pra fora e decide suar no estilo outono-inverno. É o embate da naftalina x leptospirose.

7. O misterioso caso dos vendedores de guarda-chuvas 

É só começar a chuviscar que os vendedores que, segundos antes, ofereciam óculos de sol e carregadores de celular aos passantes, tiram do buraco negro, sem ninguém perceber, vários guarda-chuvas pra vender. Pode prestar atenção: eles sabem exatamente quando vai chover, acertam mais do que a APAC. São seres verdadeiramente místicos. ?

No entanto, a lenda urbana foi derrubada quando uma amiga, em um esforço investigativo, perguntou a um senhorzinho simpático do Centro do Recife sobre isso: “Então moça, eu trabalho na calçada, mas a gente guarda os produtos dentro do prédio. Quando a gente vê o tempo feio, já corre pra pegar”. Mistério solucionado. ?