Se você não é do estado de Pernambuco (ou do Nordeste) e já veio parar no melhor São João do mundo (Caruaru, né, bb?), com certeza já ouviu algumas expressões um tanto quanto peculiares pelas bandas de cá.

Para te ajudar a entender direitinho tudo que todo mundo fala – e melhorar suas habilidades na paquera, quem sabe até convidar alguém pra um ralabucho? -, o PorAqui preparou esta lista com 12 expressões juninas que só quem é escolado no período junino entende.

O guia das festas de São João no Recife e Região Metropolitana

? Acesse aqui o Guia do São João 2018 do PorAqui, com eventos, histórias, personagens, curiosidades do arrasta-pé de Pernambuco.

? Quer colaborar com algum conteúdo ou sugerir pautas? Conhece mais expressões de São João? Manda sua ideia pro e-mail colabore@poraqui.news ou joga aqui mesmo nos comentários. ?

? Baixe agora nosso app gratuito e siga seu bairro: prq.news/ios ou prq.news/android

1.

Quer chegar no cremoso ou na cremosa com aquele papo maneiro? Fala que ele ou ela é “só o mi”, o que significa que aquela pessoa é tão maravilhosa, mas tão maravilhosa, que ela pode ser comparada ao alimento junino mais essencial de todos os tempos: o milho. Particularmente, minha expressão favorita da lista.

2.

Essa é uma palavra que todo mundo já ouviu na quadrilha junina, mas nunca parou pra entender direitinho o que significa. É bem chique, devo admitir, já que provém do francês: en avant tous. A tradução significa algo como encaminhar tudo, mas pra gente significa só que é a hora de todos os casais irem para a frente na quadrilha. O que não nos impede de poder falar alavantú com um biquinho francês, né?

3.

Também parte do vocabulário das quadrilhas juninas, anarriê tem seu pezinho na França e vem da palavra en arrière, que significa de volta. Na dança junina, é pra indicar aos casais irem para trás, de volta aos seus lugares de origem.

4.

Não estamos falando exatamente do que sua avó faz na sala enquanto vê a novela das 9, mas sim sobre um tipo de bombinha clássica do São João, em formato triangular, tão famosa quanto os palitinhos que vêm em 100 na caixa de Bichas Aliada.  Então se alguém disser que tão soltando um peido de véa por perto, se prepara pro pipoco!

5.

Também conhecido como pedacinhos do capeta que dão para as crianças no período junino, o traque de massa nada mais é do que pequenas quantidades de chumbinho enroladas num papel colorido. Serve tanto pra te atazanar, quanto pra dar aquele susto no pé do amigo: uma bombinha democrática. Lá em Caruaru o nome é “traque de sala”.

6. 

Um tanto quanto auto explicativa, essa expressão junina significa algo como “balançar o esqueleto”, se você tiver 90 anos, ou “balançar a raba”, se você for um jovem que vive na internet compartilhando memes da Gretchen.

7.

Uma versão um pouco mais acalorada do balancê, o ralabucho nada mais é do que aquele forró que de tão danado de bom faz você encostar sua barriguinha suada na barriguinha suada do seu amor. É quase uma declaração de amor com fluídos corporais, do jeito que a gente gosta.

8.

Não, não é uma maneira fofa de chamar as selfies do Instagram. O retratinho é quando a gente desmonta a bombinha junina (daquelas que têm em barraquinhas de fogos de artifício), junta a pólvora no chão e acende o fogo em cima dela. Ela faz como se fosse um flash de foto, daí o nome retratinho.

9.

Ah, o infrega coxa… Como explicar essa expressão? Não é simplesmente um balancê, dança muito formal, muito menos um ralabucho, dança para os apaixonados. O infrega coxa é aquilo que você quer fazer com seu contatinho no São João, entende? Forrozar grudadinho, mas com um pouquinho de segundas intenções.

10.

Não estamos falando das noites quentes pernambucanas, nas quais é necessário se armar para a guerra contra as muriçocas, mas sim sobre uma brincadeira de rua, também com fogos de artifício. Na guerra de mosquito, a galera usa torpedos – espécie de fogos que expele uma bola de fogo de dentro de um tubo de papelão – para o combate, quase uma guerra de varinhas como as do Harry Potter. Tem também a guerra de espadas, que visualmente é linda, mas bem perigosa

11.

Bem conhecido no interior do estado, onde até tem uma festa própria, o buscapé é uma brincadeira junina com fogos de artifício que voam descoordenados atrás dos pés de quem está por perto, construído de forma artesanal em um processo que dura seis semanas e envolve 28 etapas. É uma brincadeira meio perigosa, mas bem bonita de se ver. ?

12.

Um nome tão inocente para mais uma brincadeira com fogo e pólvora – porém muito bonitinha, temos que admitir. A chuvinha é um dos fogos de artifício preferidos da criançada, que giram o bastão faiscante até acabar. É bem lindinho e ainda dá pra tirar um mói de foto. ✨