A madrugada do dia 22 entrou para as estatísticas de violência na Lagoa do Araçá, na Imbiribeira, Zona Sul do Recife, mas marcou a vida de uma mãe e uma filha, que se surpreenderam com a bondade dos vizinhos e de policiais do 19º Batalhão de Polícia Militar.

Logo na manhã seguinte ao incêndio criminoso que destruiu o quiosque de Odete Cordeiro da Cruz, 76 anos, e Alzenir Cordeiro de Souza, 47, os vizinhos iniciaram uma mobilização para que a renda da família tivesse o mínimo prejuízo. “Minha mãe tem uma aposentadoria, que é utilizada pra pagar o aluguel do apartamento onde a gente mora, e a sobrevivência mesmo vinha desse quiosque”, conta Alzenir, conhecida na localidade como Zena.

“Logo no primeiro dia, a gente começou a receber doação de mercadoria, de pipoca, biscoito, pra a gente vender e não ficar paradas. Só que eu e mainha ficamos em choque com o incêndio, que passamos uns dias sem conseguir vir aqui, mas graças aos vizinhos, nós não ficamos paradas”, acrescenta.

Zena (foto) e Dona Odete tiram o sustento a partir da renda do quiosque (foto: Geraldo Lélis/PorAqui)

Um vizinho emprestou um toldo, outro doou um saco de pipoca, e por aí foi. Mas a ajuda mais inusitada veio de um grupo de crianças, que juntou R$ 30 em moedas e doou. “Eu só fazia agradecer por ter tanta gente boa nos ajudando”, comenta Odete.

Dessa forma, a movimentação financeira foi mantida. À medida do possível, já que não podiam oferecer os mesmos produtos de antes. Enquanto isso, o quiosque era reformado e foi devolvido a Dona Odete e Zena em um mês e uma semana. Essa missão foi abraçada pelos policiais.

“O Major Paulo Matos veio aqui pessoalmente junto com o Sargento Bezerra e o Cabo Anísio Junior e fizeram a reforma. O major e o sargento não podiam vir todos os dias, e o cabo foi quem mais botou a mão na massa”, conta. “Ele chegava aqui às 7h e só saía depois da meia-noite”, recorda.

A reinauguração é outro motivo de orgulho para Dona Odete e Zena. Teve apresentação da Banda Oficial da Polícia Militar e as pompas que a acompanham. “Pode ter pessoas ruins no mundo, mas as boas sempre vencem”, encerra Dona Odete.

Dona Odete mora na localidade há 32 anos e, há 24, tem o quiosque na Lagoa do Araçá. A simpatia dos vizinhos começou a ser conquistada antes mesmo da urbanização da lagoa. “Eu já tava aqui quando queriam aterrar a lagoa, que já tava toda loteada”, conta. “Nós nos juntamos e lutamos para que a lagoa fosse mantida, até que ela recebeu essa estrutura que tem hoje”, completa.

O incêndio segue sob investigação pela Polícia Civil.

O Quiosque da Senhora Odete, como foi rebatizado, fica ao lado do campinho, próximo à esquina com a Rua Dr. Emílio Ribas.