Se você mora em Candeias ou Piedade, em Jaboatão dos Guararapes, e até mesmo se conhece alguém que more na região, já deve ter ouvido falar do amendoim de Bigode. O vendedor é daquelas figuras conhecidas por todo mundo da área com milhares de histórias e lendas sobre sua vida além-amendoim.
Durante alguns anos circulava no imaginário candeiense contos sobre a vida dele. Diziam que ele era policial aposentado, enquanto outros cogitavam que era um bancário que decidiu abandonar a profissão. Osvaldo Adelino da Silva, nome de batismo de Bigode, é natural de São Lourenço da Mata.
“Na época em que morava lá, era motorista de caminhão, mas, por problemas de saúde, tive que abandonar a profissão”, lembra. Com problemas financeiros, morou na casa da sogra até conseguir retornar ao trabalho. Decidiu comercializar amendoim ainda no interior, mas mudou-se para Candeias, na mesma casa onde reside até hoje, em dezembro de 1996.
Construiu a casa sozinho. Desde a junção dos materiais para composição ao processo de montagem, tijolo por tijolo.

Chef Baby e a alta gastronomia do Bodega e Pizza, em Candeias

O começo no Centro

Foto: André Soares/PorAqui
“Comecei a vender amendoim no Centro do Recife ainda com os saquinhos pregados num pedaço de pau. Até pensei em voltar à profissão de motorista, mas eu queria algo melhor pra minha vida”, recorda. A transição do meio de transporte do produto começou com a preocupação em manter um padrão alto de qualidade.
Para manter o amendoim sem azedar, Bigode comprou uma carroça em Cajueiro Seco e levou-a empurrando, margeando a Lagoa Olho D’Água, até chegar em Candeias. Engatou numa moto e montou um caldeirão para manter o produto aquecido durante todo o horário de expediente, que começa sempre às 5h30 e finaliza às 23h. Sempre de quinta-feira a domingo.
Bigode compra atualmente cerca de uma tonelada de amendoim a cada dois meses e vende 25 kg por dia. A rota tem início no Dom Helder e finaliza em Barra de Jangada, sem nunca perder sua exigência de cozimento, escaldado sempre no fogareiro à carvão.
“O segredo da vida é fazer bem feito e dar continuidade, sempre procurando melhorar. Não tinha casa pra morar e cresci. Nenhum mal é eterno”, diz Bigode, em cima da moto, e parte para descansar para mais uma jornada de trabalho.
Foto: André Soares/PorAqui
 A porção do amendoim cozido e torrado com aproximadamente 250 g custa R$ 2,50. Descascado é R$ 3,00. Bigode também trabalha com encomenda para festas.
O Rei do Amendoim
Bigode
Telefone: (81) 98780-6306