Cervejaria artesanal, distribuidora de produtos de limpeza, central de ingressos e até espetinho. Os bairros de Piedade e Candeias, na vanguarda das moedas digitais descentralizadas, têm quatro novos estabelecimentos que, desde o mês de março deste ano, estão aptos a receber o pagamento em criptomoedas. Confraria Hopfen Haus, Brasil Distribuidora, Ticket Folia e Chopetinho são os empreendimentos que, recentemente, aderiram ao formato.

Os pagamentos podem ser efetuados em bitcoin, litecoin e bitcoin cash. Para o mês de maio, a empresa CoinWISE, responsável pelo gerenciamento financeiro das moedas e expansão do modelo no Jaboatão dos Guararapes, numa ação promocional, oferece descontos de 10 a 15% aos clientes que optarem pela forma de pagamento.

Confraria de cervejas artesanais de Candeias aceita criptomoedas

“Para o comprador, a grande vantagem é a praticidade de usar suas criptomoedas sem ter o trabalho de vender numa corretora e depois fazer transferência para poder utilizar. A nossa solução tem uma forma prática, rápida e segura”, esclarece Wagner Santana, gerente de tecnologia da CoinWise.

O processo é muito simples: ao escolher a forma de pagamento, o estabelecimento insere o valor num sistema desenvolvido e, através de um QR Code gerado, o cliente captura a informação em seu aparelho móvel e em poucos segundos o pagamento é aprovado.

Bitcoin, Litecoin e Bitcoincash são as moedas digitais aceitas na cervejaria | Foto: Divulgação

Aceitamos Criptomoedas

O Chopetinho, em Candeias, utiliza o sistema há quase dois meses. Para Fábio Mendes, proprietário do estabelecimento, a ideia surgiu como forma de manter-se renovado e atrair mais clientes. “Eu já lia sobre o assunto e chegou um momento que quis expandir a ideia. Entrei em contato com a empresa para implantar”, conta.

Para os proprietários, a empresa garante que as vantagens são inúmeras. “A principal é baixa taxa baixa de 1% no valor de cada transação e o repasse realizado em apenas três dias úteis, diferente dos 4 ou 5%  e os 30 dias das operadoras de cartões para o dinheiro entrar na conta”, explica Wagner, que ainda ressalta a possibilidade dos empresários receberem em real brasileiro ou na própria moeda digital.

“Ainda é um desafio fazer com que as pessoas consumam e paguem com as moedas porque ainda são muito utilizadas como forma de investimento, mas com a adesão dos estabelecimentos e criação de possibilidades de uso, as pessoas vão aderir”, afirma Wagner.