A imprensa recifense, na década de 1940, em tom de chacota, apelidou a cidade do Jaboatão dos Guararapes de Moscouzinho, em referência a capital da União Soviética. Um dos principais motivos era o fato dos cidadãos terem eleito, em 1947, o primeiro prefeito comunista do Brasil. O PorAqui reuniu dois fatos importantes que marcaram a época.

Jaboatão Jornal

A cidade já teve um dos mais importantes jornais da capital, o Jaboatão Jornal. Sua circulação iniciou no dia 26 de novembro de 1950 e a direção do periódico era assinada pelo historiador e escritor Van-Hoeven Ferreira Veloso. Na direção da redação, circularam célebres personalidade da história jaboatonense, como o poeta Benedito Cunha Melo, a escritora Elieser Figueiroa e Edu Bezerra de Oliveira.

Histórias da orla de Jaboatão dos Guararapes

Com o lema “De Jaboatão para Pernambuco, periódico independente e apolítico”, o jornal foi fundado no último ano de governo de Manoel Calheiros, o primeiro prefeito comunista do Brasil.

O Garoto de Stalin

Em 1947, os cidadãos do Jaboatão dos Guararapes elegeram para governante do município, o médico Manoel Calheiros, primeiro prefeito comunista do Brasil. Embora tenha sido eleito pelo Partido Social Democrático (PSD), reconhecida sigla aristocrata, a pauta da reforma agrária foi fator determinante para a união. Além disso, a ação também foi a forma de tornar-se elegível após a cassação do Partido Comunista do Brasil (PCB).

Quem foi Bernardo Vieira de Melo?

Na época, devido aos fortes laços dos trabalhadores e envolvimentos sindicais no município, como a união dos ferroviários, Jaboatão era conhecida ironicamente como Moscouzinho, e em notas no Jaboatão Jornal, pejorativamente o classificavam como “garoto de recados de Stalin”. A gestão foi até o ano de 1951.