A imprensa recifense, na década de 1940, em tom de chacota, apelidou a cidade do Jaboatão dos Guararapes de Moscouzinho, em referência a capital da União Soviética. Um dos principais motivos era o fato dos cidadãos terem eleito, em 1947, o primeiro prefeito comunista do Brasil: o médico Manoel Rodrigues Calheiros.

Em 1945, com o final do Estado Novo, os partidos comunistas saíram da ilegalidade. A situação não demorou a mudar o rumo. “Com o fantasma da guerra fria rondando os países democráticos, o Partido Comunista Brasileiro (PCB), voltou à ilegalidade, porém com o intuito de eleger prefeitos e vereadores nas eleições de 1947”, detalha Celly Bezerra de Aquino, no projeto de mestrado da UFPE em Educação.

Embora tenha sido eleito pelo Partido Social Democrático (PSD), reconhecida sigla aristocrata, a pauta da reforma agrária foi fator determinante para a união. Além disso, a ação também foi a forma de tornar-se elegível após a cassação do Partido Comunista do Brasil (PCB).

Território Livre

Diversos membros do Partido Comunista mantiveram relações de militância habituais, mesmo após a proibição. Participavam de movimentos sindicais, principalmente os conectados a empresa ferroviária inglesa Great Westen, localizada na própria cidade.

A Delegacia da Ordem Econômica, preocupada com a alarmante situações dos comunistas na cidade, enviou um policial para investigar a atuação da prefeitura antes das eleições. Foi designado o inspetor Irineu Joaquim.


“Voltei para Jaboatão e os comunistas, reunidos pelas ruas, isto era quase toda parte. Em greve não se fala, mas se não for despachado em favor dos operários o dissídio coletivo, os operários juntos com o deputado Amaro de Oliveira, haverá uma novidade. Assim que dizem o operariado comunista, mas não foi definida a palavra novidade, se é greve, ou protesto, ou outra coisa qualquer. Não há nenhuma diferença de Jaboatão para a Rússia, como se diz, porque um comunista, está com tanta consideração que faz admirar”, relatou no prontuário do DOPS, segundo o historiador Diego Carvalho da Silva, na dissertação “Partidos e Alianças Políticas na “Moscouzinho do Brasil”.

Estação Prazeres | Foto: Acervo IBGE

“Em 30 de outubro, a Folha do Povo trouxe como manchete principal: “Eleito em Jaboatão o primeiro prefeito comunista do Brasil”, relata Diego Carvalho, e observa que, além do médico, ainda foram eleitos quatro vereadores comunistas, Aníbal Varejão como vice e José do Rego Barros, como subprefeito do distrito sede.

O Garoto de Stalin

Na época, devido aos fortes laços dos trabalhadores e envolvimentos sindicais no município, como a união dos ferroviários, Jaboatão era conhecida ironicamente como Moscouzinho e, em notas no Jaboatão Jornal, pejorativamente o classificavam o prefeito como “garoto de recados de Stalin”, político soviético falecido em 1953.

No dia 16 de novembro de 1947, após a posse de Manoel Calheiros, o Diário da Manhã, histórico jornal pernambucano que existiu entre 1927 e 1985, publicou:

“O prefeito de Jaboatão tem recebido inúmeras mensagens de felicitações de Moscou, Belgrado e outras regiões contaminadas do globo. Vê-se que o prefeito de Jaboatão está com tudo. Enfim, aquele município passou à categoria de território livre. Ali tudo vai indo com muita calma. Consta que o prefeito pretende construir uma linha férrea subterrânea ligando Moscouzinho à Moscouzão”