Enquanto os católicos sobem anualmente durante os meses de novembro e dezembro o Morro da Conceição, no Recife, o barqueiro Carlos Alberto, que atende pela alcunha de Carreta, é o profissional responsável por realizar a travessia das oferendas para Iemanjá na praia de Barra de Jangada, em Jaboatão dos Guararapes.

A tradição começou há 7 anos, logo depois que a estátua de Iemanjá foi construída durante o governo do ex-prefeito Newton Carneiro. “As pessoas precisavam entrar no mar pra levar as oferendas, mas não tinha quem fizesse. Peguei um barco emprestado e comecei a fazer o serviço”, lembra Carreta.

Carlos Alberto é conhecido como Carreta | Foto: André Soares/PorAqui

Com 57 anos de vida, sendo 36 vividos no bairro, ele também é proprietário do bar de praia “Caldinho do Carreta” e pescador, mas atuou anteriormente como segurança de prédios. Católico, diz nunca ter tido julgamento com as religiões que adoram Iemanjá. “Levo isso como um trabalho com todo respeito. As pessoas vão cantando no barco e deixam as oferendas no mar”, explica.

No dia 8 de dezembro, data em que a maioria das oferendas são ofertadas, vêm pessoas de todo o estado para fazer a travessia. Flores, frutas, perfumes e desodorantes são os presentes mais comuns entregues nos 500 metros mar adentro navegados por Carreta.

O barco foi adaptado com cadeiras para acomodar os devotos | Foto: André Soares/PorAqui

Ao todo, são 30 minutos de viagem com muita alegria e fogos para ir e voltar no barco construído, e adaptado com cadeiras para acomodar as pessoas, pelo próprio Carlos Alberto, que faz questão de afirmar quando o assunto é praia: “Dentro do mar é comigo”.