As tartarugas estão mais seguras para desovar nas areias das praias de Piedade e Candeias. Aves migratórias voltaram ao litoral depois de anos distantes. Esses são alguns dos benefícios que a reintrodução da vegetação nativa praieira vem trazendo para os aproximados oito quilômetros de costa jaboatonense.

Na divisa com a cidade do Recife, nas imediações do Hospital da Aeronáutica, foram plantadas cerca de 300 mudas de feijão de praia, uma planta rasteira que, ao ser incorporada às pequenas dunas, agem naturalmente para impedir, inicialmente, que a areia voe para a pista.

Flores do feijão de praia | Foto: André Soares/PorAqui

Leia também:

O caminho das tartaruguinhas até o mar da praia de Piedade

As benesses do projeto estendem-se à fauna. “Não é um mato qualquer sem função. A vegetação tem um papel no equilíbrio ecológico. Oferece proteção aos ninhos de tartarugas que desovam no litoral, deixando-as menos expostas a ação de agentes externos”, explica Edilene Rodrigues, superintendente de meio ambiente da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Sustentabilidade da cidade do Jaboatão dos Guararapes,  e lembra que, a iniciativa é inédita em áreas urbanas no país.

Semente de Feijão de Praia | Foto: André Soares/PorAqui

“Começamos o trabalho há cerca de dez meses. Coletamos sementes da salsa e feijão de praia para levar à secretaria, germinar e, depois de adquirir resistência, foi realizado plantio nas praias”, esclarece.

Também foi observada a migração de pássaros não tão habituais na região, como o maçarico, ave conhecida pelas longas horas de voo entre países.

Foto: André Soares/PorAqui

O Rio Jaboatão também receberá a atenção do projeto. Foram identificadas espécies, como mangue de botão, mangue branco, mangue preto e mangue vermelho, para serem reintroduzidas nos manguezais.