De um lado, a Ponte do Paiva, do outro, Barra de Jangada. Entre as cidades de Jaboatão dos Guararapes e o Cabo de Santo Agostinho, os rios Pirapama e Jaboatão encontram-se numa baía utilizada por atletas para a prática do stand up paddle.

De origem havaiana, a atividade é uma forma antiga do surfe e vem conquistado cada vez mais adeptos. Não só pelo prazer de estar conectado com a natureza, mas também pela atividade física.

Jota Neves (48), fundador e instrutor da Escola SUP PE, com sede na Marina Seleta, em Barra de Jangada, passou grande parte da vida nas águas de Candeias. Nadava, pegava siri e outras atividades ligados ao mar. Praticou diversos outros esportes náuticos, como caiaque, canoagem oceânica e remo olímpico. Mas foi há cinco anos que ele descobriu sua paixão pelo esporte.

Jota Neves, instrutor de SUP | Foto: André Soares/PorAqui

“Depois que entendi o que queria, me preparei para investir. Fiz o curso em Salvador com a Confederação Brasileira de Stand Up Paddle, Marinha e de Surfe. Hoje trago uma opção de esporte náutico que pode ser além do lazer e encarado como atividade física”, explica Jota, que ainda afirma que em uma hora de treino, é possível perder entre 600 e 900 calorias, além de tonificar os músculos do corpo.

O Aeroporto de Barra de Jangada

O instrutor começou a lecionar na praia de Marinha Farinha, mas mudou-se para Candeias e escolheu as piscinas naturais nos períodos de maré seca para desenvolver a ocupação. Pouco tempo depois com o aumento da demanda de alunos e necessidade de mais estrutura, realocou a escola para a Marina onde atualmente funciona. O aluguel do equipamento completo custa R$ 50 por hora, mas existem outras opções de pacotes de aulas. Para a prática diária, é aberto aos alunos a possibilidade de se associarem ao clube para utilizar o material diariamente por uma mensalidade de R$ 200.

As aulas acontecem na Marina Seleta | Foto: André Soares/PorAqui


INCLUSÃO

A escola também possui um projeto especial para inclusão de crianças das comunidades carentes e deficientes físicos. Para cadeirantes, Jota adaptou a prancha com suportes que possibilitam o treinamento e integração mais fácil com o desporto.

“Já tivemos alunos com paralisia cerebral. Dá pra sentir a transformação na vida dessas pessoas. Tirar o pé de casa e trazer pra cá é algo fantástico”, declara o instrutor.

Escola SUP PE
Marina Seleta, Barra de Jangada
(81) 99726-4932
Todos os dias | 8h às 15h