Três igrejas históricas erguidas no século XVII em Jaboatão dos Guararapes. Da Matriz, no centro da cidade, que leva o nome do padroeiro do município, ao maneirismo europeu e belo jardim da capela de Piedade.

Matriz de Santo Amaro

Construída em 1691, a igreja é localizada no centro de Jaboatão dos Guararapes e leva o nome de Santo Amaro, padroeiro da cidade. Na parte traseira do local, fica o Cemitério da Saudade, erguido durante a epidemia de ‘cólera-morbo’, em 1856. Antes do local atual, a história do templo teve início ainda em 1590, mas a distância do centro urbano, e consequentemente dos devotos, fez com que fosse transferida para onde está. A Igreja faz parte do Sítio Histórico de Jaboatão Centro, protegido pela Legislação Urbanística Municipal.

Rio, árvore, quelônio ou fruta? De onde vem o nome Jaboatão dos Guararapes?

Igreja de Nossa Senhora dos Prazeres

O General Francisco Barreto de Menezes prometeu que se ganhasse a batalha contra os holandeses, construiria com seu próprio dinheiro, uma igreja que seria vista de longe no Monte dos Guararapes. Após a saída dos europeus, edificou o templo e o dedicou à Nossa Senhora dos Prazeres.  A construção aconteceu entre 1654 e 1656, na sua gestão como governador de Pernambuco. Patrimônio Nacional, é tombada pela União desde 1938 com administração dos monges beneditinos.

Histórias da orla de Jaboatão dos Guararapes

 

Igreja de Nossa Senhora do Loreto

Situado no bairro de Piedade, próxima à comunidade batizada de Loreto, a igreja foi edificada em 1660. A capela foi construída com material carregado do cais da praia de Candeias, por escravos e animais. Seu imenso jardim é cuidado diariamente pela Ordem dos Beneditinos.

Igreja do Loreto | Foto: foto Valter Andrade/Prefeitura de Jaboatão

Referência: Jaboatão: histórias e lutas, de Adriano Marcena