A qualquer hora do dia ou da noite, não tem erro: você vai ver alguém caminhando ou correndo nas ruas de Jardim São Paulo. Que bom que as pessoas do bairro ocupam o bairro! Uma delas, é o administrador de empresas Renato Ferreira da Silva. Aos 33 anos, desde 2008 ele aderiu à prática. “Eu era sedentário e um amigo meu me chamou. Primeiro, eu resisti. Mas ele insistiu e eu acabei aceitando. Comecei, tomei gosto e até estou fazendo”, diz ele.

Sempre nas primeiras horas da manhã ele está lá, religiosamente. Sem dúvida, comenta Renato, a atividade lhe trouxe benefícios . “Quando comecei, eu pesava em torno de 140 kg. Já perdi mais de 30 kg. Só caminhando e correndo, sem precisar tomar nenhum remédio”, destaca.

A Praça Central também é outro atrativo para quem quer se exercitar. Com pista de cooper e equipamentos destinados a alongamentos e treinos, o espaço recebe centenas de pessoas ao longo de todo o dia.

O treinamento funcional também é uma das atividades procuradas pelos moradores do bairro (Foto: Facebook/D2 Assessoria Esportiva)

Todo fim de tarde é dia de Academia da Saúde, O programa é promovido pela Prefeitura do Recife, gratuitamente. Na Praça Central ou no Palhoção da Praça El Salvador são realizadas atividades de ginástica e dança. Grande parte do público é feminino.

Rita Pereira do Nascimento , 52 anos, participa há um mês da Academia. Dança zumba. “Gosto muito de fazer e conheço muita gente que está há mais tempo e elas dizem que hoje se sentem bem mais dispostas e revigoradas”, relata.

Ela também participa das aulas de treinamento funcional que acontecem na Praça, todas as noites de segunda, quarta e sexta. “Começamos há 3 anos, quando o funcional estava bombando lá pro lado de Boa Viagem, Daí resolvemos trazer para o subúrbio”, comenta André Luiz, um dos instrutores, que é, também, morador de Jardim São Paulo.

A servidora pública Danielle Santana, 32 anos, faz parte do grupo de treinamento funcional. Ela conta que, além de ter essa atividade perto de casa, realiza-la ao ar livre é bem mais agradável. “Gosto do fato de não estar confinada em um ambiente fechado e ter que revezar aparelhos. O clima é bem descontraído, mais amigável e o acompanhamento dos exercícios mais próximo”.