Em meio à Copa da Rússia (e com o Brasil ainda no páreo), já dá pra começar a pensar nos futuros craques brasileiros? Dá, sim! Entrou no ar, ontem (quinta, 5), a campanha “A Copa que importa”, para financiar a construção de um campinho de futebol para as crianças da comunidade Guarulhos, no bairro de Jardim São Paulo, Zona Oeste do Recife.

As doações podem ser feitas no site www.acopaqueimporta.meurecife.org.br. nos valores de R$ 10, R$ 20 e R$ 50. O valor total a ser arrecadado é de R$ 5 mil. Além disso, materiais também serão bem vindos.

Com um histórico de luta por mais cidadania e dignidade, os moradores da comunidade Guarulhos empreendem mais essa iniciativa para transformar, para melhor, o lugar onde vivem.

(Foto: Reprodução/Facebook)

Às margens do Canal Guarulhos, que, há anos, aguarda pela conclusão de obras da Prefeitura do Recife, e sofrendo com as constantes enchentes, a comunidade atua de forma independente e com as próprias mãos para inverter a lógica do abandono público: a construção da Praça do Cristo, feita com recursos próprios, é um símbolo dessa luta.

E é nessa linha – e, mais uma vez, com o engajamento social da comunidade – que entra a construção do campinho de futebol para as crianças da região. Sem uma área de lazer, meninada acaba tendo que jogar bola à beira do canal, colocando em risco sua segurança e saúde.

Grupo de moradores – em sua maioria, mulheres, foi responsável pela criação da Praça do Cristo (Foto: Facebook Praça do Cristo JSP)

“No país do futebol, um campinho é um dos melhores equipamentos para atrair a atenção da criançada e se pensarmos que esse campinho estará inserido num espaço público onde a própria comunidade tem um projeto pedagógico de educação popular, então esse campo deixa de ser só um local para atividade física e se torna uma escola sem muros”, diz Reginaldo Falcão Júnior, morador da comunidade Guarulhos.

A campanha é feita em parceria com a rede ativista e de mobilização social Meu Recife. Um grupo de arquitetos está apoiando a mobilização e viabilizou o projeto do campinho. “Já tive a oportunidade de construir uma quadra no Ibura. Ver a garotada fazendo uso do equipamento é, sem dúvidas, a maior recompensa”, diz arquiteta Tâmara Maysa, da Lazo Arquitetura.

“Nosso público contará com treinos de futebol, além das atividades já existentes, como a pedalada, aula de reforço, defesa pessoal, meditação, parkour, zumba e corrida”, completa Reginaldo.