“Aqui é só alegria!” Esse é o lema da quadrilha junina Dona Matuta, de San Martin, na Zona Oeste do Recife. E é, realmente, com muita alegria, amor e paixão pela mais importante festa popular nordestina, que eles mostram, ano após ano, por que se tornaram referência em Pernambuco e no Brasil.

Dona Matuta, na verdade, era o nome de um bar no Ipsep, onde alguns ex-integrantes de outras quadrilhas tiveram a ideia de criar algo novo. O ano era 2006. “Queríamos fazer uma quadrilha com a nossa cara”, conta Sérgio Trindade, um dos fundadores e marcador da Dona Matuta.

Sérgio traz nas veias o sangue de um típico brincante junino. O pai, Sebastião Freitas – ou “Seu Basta”, como é popularmente conhecido onde mora –, também foi marcador de quadrilhas. “É  algo que já vem de berço”, conta Sérgio.

A quadrilha, com sede em San Martin, é uma das mais importantes de Pernambuco (Foto: Rosivaldo Silva)

E é na sua casa, na Rua Pedro Melo, que fica a sede da Dona Matuta. O lugar já é conhecido por movimentar o bairro durante o período junino. Afinal, é lá que a Dona Matuta se prepara, durante meses, para brilhar nas festas juninas Brasil afora.

Em 11 anos, a Dona Matuta consolidou seu nome entre as principais quadrilhas juninas, colecionando títulos. Entre eles, o de campeã do Concurso de Quadrilhas Juninas da Prefeitura do Recife, em 2011. É também tetracampeã do Concurso de Quadrilhas Juninas da Rede Globo Nordeste (2009, 2010, 2012 e 2014).

Sérgio Trindade é marcador da Dona Matuta. A sede da quadrilha junina fica em sua casa  (Foto: Rosivaldo Silva)

Este ano, a Dona Matuta é, mais uma vez, uma das 12 finalistas do concurso de quadrilhas da prefeitura. A final acontece nesta quinta (22), a partir das 21h, no Sítio Trindade. Como de costume, é uma fortíssima candidata a levar o título de 2017.

Sobre essa trajetória exitosa, Sérgio fala: “Acho que vem muito do amor que a gente tem a essa tradição. De não nos preocuparmos tanto com a competição, mas, sim, com o real significado da festa junina. Enquanto as outras competem, a gente festeja”.

Preparação

A Dona Matuta possui uma estrutura que não deixa a desejar a nenhuma outra quadrilha. São 160 integrantes. Desses, 101 brincantes, nove pessoas na equipe de direção, 25 atuam na produção e outras 25 na equipe de apoio.

“Além de tantos outros familiares, amigos e colegas da comunidade que nos apoiam durante o período de construção da quadrilha”, conta George Araújo, diretor artístico da Dona Matuta e também um dos seus fundadores.

A poesia do cearense Patativa do Assaré é o mote do espetáculo “Coração de Patativa”, que a Dona Matuta vem apresentando em 2017. Segundo George, o tema foi escolhido em setembro. “Fomos moldando o enredo do espetáculo até o final de fevereiro, quando de fato, iniciamos os trabalhos de ensaio e preparação do grupo”, conta ele.

A Dona Matuta tem, atualmente, 160 integrantes. Desses, 101 são os brincantes dançarinos (Foto: Rosivaldo Silva)

Entra em cena todo o processo criativo: “Datas de ensaios, execução de figurino, montagem de coreografias, festas, estúdio de gravação e estreia, tentando não fugir do nosso planejamento”, destaca George.

Toda essa preparação não é moleza. Com o tema definido, os ensaios acontecem todos os domingos, das 15h e 21h. No mês de maio, se intensificam, passando a acontecer aos sábados e ao longo da semana. Nesses casos, em período reduzido: três horas por ensaio, mas numa frequência bem maior à medida que se aproxima o mês de junho.

“Esperamos, do fundo dos nossos corações, que consigamos levar com amor e alegria a nossa poesia, a nossa dança, o nosso trabalho feito com muito carinho para todos os amantes da cultura junina e, principalmente, para os que permanecem com a vontade de fazer quadrilha”, diz George.

Festas

E se o lema é festejar, não pode faltar celebração à Dona Matuta durante todo o ano. Segundo Sérgio, é com festas promovidas no bairro que eles conseguem arrecadar dinheiro para dar conta de toda a estrutura que se ergue a cada ano. “Também fazemos algumas festas particulares. Isso ajuda a gente a manter a Dona Matuta”, conta.

Integrantes se dedicam durante meses até o mês de junho (Foto: Divulgação)

Mas também tem as festas para a própria comunidade. Já é tradição da Dona Matuta se reunir todo dia 23 de junho, na Rua Pedro Melo, e celebrar o seu São João. “É uma marca nossa, do nosso trabalho, manter viva essa tradição”, conta Sérgio.

E pra fechar cada ano, sempre há a confraternização da Dona Matuta. Este ano, acontecerá no dia 8 de julho. E Sérgio já prometeu: “Vai ser uma grande festa, vamos ter palco, com bandas e tudo mais. Vai ser um grande evento no bairro”.

Agenda da Quadrilha Junina Dona Matuta

20.06 – Centro Cultural Miguel Arraes – Prazeres (Jaboatão) – 21h
21.06 – Abreu e Lima – 22h
22.06 – Final do 33º Concurso de Quadrilhas Juninas (Sítio Trindade) – 21h
23.06 – Arraial Forrogodeiro – 19h
24.06 – Arraial Deixa Falar (Casa Amarela) – 21h
28.06 – Arraial Tradicional Luar do Sertão – 21h
30.06 – Arraial Flor do Arruda – 21h
30.06 – Arraial 16 de Julho – 23h
02.07 – Mostra de Quadrilhas do Ibura