Diariamente, milhares de pessoas utilizam o metrô como principal meio de transporte no Recife. Mas casos de assaltos e até mesmo homicídios deixam os usuários em alerta. A Estação Werneck, em Jardim São Paulo, também passa por isso.

No final do ano passado, a funcionária pública Andréa Araújo presenciou um assalto na estação. “O ladrão veio dos trilhos, subiu a plataforma e assaltou três senhoras que estavam sentadas”, relata. “Quando eu percebi, recuei e fiz de conta que estava indo embora”.

Andréa utilizava o metrô todos os dias. Depois do que viu, diminuiu a frequência. “Agora, só duas vezes por semana”. “É horrível porque todo mundo que sobe é suspeito”. Ela contou que não vê policiamento nas ruas em volta da estação.

Outro caso é o de Christiana Alves, que foi assaltada, junto com a tia, no Dia dos Pais do ano passado. “Eram dois homens. Um, com uma mochila e outro com um isopor, como se estivesse vendendo algo. O da mochila chegou e disse que colocássemos nossos pertences na bolsa dele”. Christiana disse que ele estava armado.

Ao informar aos seguranças da estação sobre o acontecido, ouviu que ele “não poderia fazer nada”. “Fiquei em estado de choque, pois isso nunca tinha me acontecido”, relata. “É uma sensação horrível, a gente se sente impotente”.

As duas situações – com Andréa e com Christiana – ocorreram entre 12h30 e 13h.

Policiamento insuficiente e iluminação pública precária nos arredores de Werneck são as principais queixas. À noite, ruas do entorno ficam escuras e desertas – em especial, embaixo do pontilhão do metrô e na Rua Cacimbão, atrás da estação, o que facilita a atuação dos assaltantes.

A parada de ônibus ao lado da estação está totalmente no escuro. Passam por lá passageiros de diversas localidades, para pegar coletivos das linhas Totó/Boa Viagem e Curado I/Werneck (integração com o metrô), expostos ao perigo.

Dentro do metrô

No caso das estações de metrô, a questão da segurança delimita duas áreas: a interna e a externa. A segurança interna é de responsabilidade da Companhia Brasileira de Transportes Urbanos (CBTU) e Metrorec, cuja sede é vizinha à estação, na divisa de Jardim São Paulo e Areias.

De acordo com o consultor de Segurança da CBTU/Metrorec, coronel Meira, a vigilância em Werneck é feita por três funcionários. “Sempre fica um no posto 24h, mesmo quando a estação está fechada para o público. Os outros dois cobrem o horário das 5h às 23h, com os passageiros em circulação”, informa.

No entanto, ele reconhece que “Werneck era uma área problemática. E ainda é, só que na área externa”.

Ao fundo, a parada de ônibus vizinha à Estação Werneck completamente no escuro (Foto: Leonardo Vila Nova/PorAqui)

Ele adianta que algumas medidas estão em andamento para coibir a atuação dos assaltantes. Entre elas, a renovação de todo o sistema de monitoramento por câmeras no local.

“Fizemos uma licitação e, no segundo semestre, teremos cerca de 1.500 novas câmeras instaladas para cobrir todo o sistema”, adianta. A quantidade de câmeras varia de estação para estação. “Em Werneck, deveremos ter umas seis”.

Outra medida é uma parceria com a Polícia Militar, para a instalação de um posto da 12º BPM próximo à sede do Metrorec. “Isso traria uma segurança real para os usuários, com o reforço de um efetivo atuando na área externa”. Esta parceria ainda está em fase de negociação.

De acordo com a assessoria de imprensa da CBTU, entre janeiro e maio, foram registradas 11 ocorrências nas dependências da Estação Werneck: oito queixas de roubo (sem registro policial), dois roubos a usuários na estação e um roubo a usuário no trem.

Policiamento

A Polícia Militar de Pernambuco (PM-PE) informou que o 12º BPM “mantém rondas ostensivas no entorno da estação Werneck”. Em nota, a PM diz que “o bairro conta com uma Guarnição Tática, além do recobrimento pelo Grupo de Apoio Tático Itinerante (GATI)”. Acrescentou que na área também acontece a Operação Integração, que cobre também outros bairros.

Iluminação

Em nota, a Autarquia de Manutenção e Limpeza Urbana do Recife (Emlurb) informou que uma equipe irá “realizar uma vistoria técnica na rede de iluminação pública”, assim como programar os serviços necessários “à melhoria da iluminação dos trechos que são de responsabilidade do órgão”. Vias como a Av. Central e a Rua do Cacimbão estão incluídas.

Atualizado às 17h52 de quinta-feira (29/6).