Em Olinda muitos sabem que o aperto com a falta d’água é um problema crônico. Refletindo sobre essa realidade, pesquisei informações históricas para saber como se formou a relação entre a cidade e o acesso à água. Quando descubro que o banho de bica público e ao ar livre já fez parte do cotidiano dos olindenses.

Segundo estudos da arquiteta Vânia Avelar, no século XVI, a hoje desativada Bica de São Pedro, localizada na Rua Henrique Dias, por muito tempo foi um lugar próprio para banhos coletivos entre os moradores e as moradoras da região. Conhecida inicialmente como Fontainha, a bica servia também pra manejar alimentos, lavar roupa e também para dar banho em cavalo.

As outras bicas públicas (Bica do Rosário e Bica dos Quatro Cantos), que também fazem parte da paisagem do Sítio Histórico atual, já foram pontos fundamentais no abastecimento de água potável para os olindenses, pois foram construídas justamente para sanar problemas com a distribuição do recurso em Vila Olinda, província que deu origem a tudo.

Bica do Rosário. Foto: JC Imagem

A vida em torno da água

A partir da construção das três bicas foram se formando os puxadinhos urbanos, como praças e largos nos respectivos entornos para que as pessoas pudessem se molhar com mais facilidade. E assim, naquela época, a vida em Olinda acontecia, de fato, ao redor da água.

As três bicas públicas foram protagonistas do primeiro sistema de abastecimento de água de Olinda e foram perdendo o protagonismo a partir de mudanças na infraestrutura hídrica da cidade.

Hoje, apesar de tombadas como Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco (1982), se encontram com águas impróprias para banho ou qualquer tipo de contato. Apesar de existirem os corajosos, claro.

Detalhe da Bica no bosque do Convento de São Francisco. Foto: Edmar Melo/JC Imagem

Além das três bicas mais famosas, uma outra foi revelada no ano de 2014 pelos Frades do Convento de São Francisco. Localizada em um bosque da Cidade Alta de Olinda, a Bica também servia para abastecimento humano no século XVI.

Resgate de um passado recente

Bicas históricas de Olinda estão sendo restauradas desde o início do ano. Foto: Prefeitura de Olinda

Existe um fio de esperança para os otimistas que sonham em voltar a tomar banho nas bicas de Olinda. As obras de requalificação das Bicas de São Pedro, Rosário e Quatro Cantos estão em andamento desde o final de fevereiro deste ano. O projeto foi aprovado via PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) de Cidades Históricas e o investimento é de R$ 189 mil. 

Todas os passos das obras são supervisionados pela prefeitura de Olinda, através da Secretária Executiva de Patrimônio de Olinda (Sepac), o Conselho de Preservação dos Sítios Históricos de Olinda e o Iphan para que as características arquitetônicas das estruturas das bicas sejam preservadas durante o processo de restauração.

[Matéria publicada no dia 18/12/2017 e atualizada em 24/07/2018]