Na noite do último sábado (9), a Secretaria do Meio Ambiente Urbano e Natural de Olinda mandou encerrar o show no CasBah. Motivo da medida: a música poderia acordar o Menino Jesus que se encontrava dormindo no presépio instaurado na Praça do Carmo. O evento chamado “Sambas de Erasto”, idealizado pelos cantores Rogerman e Ganga, mal começara e teve que ser paralisado.

Fora do estabelecimento, um grupo da secretaria e um grupo de artistas se reuniram para ver o que poderia ser feito para que o show pudesse continuar tranquilamente. Entre os mais exaltados estava o comunicador Roger de Renor. Roger estava impetuoso, bravejando duramente em prol dos artistas. Dizia que aquilo era represália contra a cultura.

Peixe-boi desmaia após saber preço da cerveja na Cidade Alta

Em alto e  bom som, chegou a proferir o clássico  “quem pariu Matheus que o balance. Mas o show tem que continuar”. Acontece que Roger estava com um short jeans que, além de curto, era folgado e, toda vez que ele se manifestava, deixava um testículo à mostra.

Ao se deparar com as partes de Roger, Maria, mãe de Jesus, quase desmaiou, Baltasar, um dos três reis magos, cochichou no ouvido do colega Belchior: “Ele deveria se chamar Roger de Renovo”.

As renas da carruagem do Papai Noel, empolgadíssimas com o lance do apresentador, começaram a cantar com o Bom Velhinho fazendo  beatbox ao fundo “Cadê, Roger? Cadê, Roger, Cadê Roger, Cadê Roger? Ô…”.

A essa altura, o cantor Urêa, trajado com seu uniforme de imperador, para o bem de todos e felicidade geral do público, tranquilizou os ânimos entre Roger, o pessoal do Controle Urbano e a galera do presépio e o show continuou lindamente, sem acordar nem o Menino Jesus nem uns chatos de galocha que moram no Sítio Histórico.

Ao término dessa matéria, Roger ligou para os 4 Cantos NEWS e disse que, ao chegar em casa, encontrou duas renas, com olhos apaixonados, na mala da sua Rural Willys.

Todas as notícias do 4 Cantos News são fruto da imaginação. Qualquer semelhança com a vida particular ou acontecimentos expostos à sociedade, dos que moram ou dos que frequentam este ambiente são meras coincidências. O conteúdo não reflete, necessariamente, a opinião do PorAqui. Somos uma rede que visa mostrar a pluralidade de bairros, histórias e pessoas.