O 4 Cantos News teve acesso exclusivo a um presídio olindense para bonecos gigantes e constatou o caos que se encontra o sistema carcerário bonequeiro.

A superlotação, a reincidência e o descumprimento dos direitos e garantias dos bonecos gigantes englobam esse déficit de vagas nas celas do presídio Boneco Campelo. Os números são estarrecedores: em média, o presídio comporta 220 bonecos detentos porém, atualmente, abriga 868.

Homem da Meia-Noite diz ter conjuntivite, mas bonecos desconfiam do calunga

Segundo o sociólogo Washigton Bezerra, especialista em bonecos gigantes, a taxa criminal entre os gigantes teve aumento com a crise que entranhou no Brasil e, ao mesmo tempo, a demanda de blocos que se foi criando nos últimos anos.

“Todo mundo em Olinda tem um bloco e agora todo mundo quer ter um boneco. Com a crise, veio o desemprego e com desemprego o aumento inevitável da criminalidade. Olinda hoje tem mais boneco que gente. Antigamente, mesmo depois do Carnaval, os bonecos faziam biscates em casamentos, aniversários e até em enterros. Na bancarrota de hoje, como precisam se alimentar, infelizmente, quando não estão nas ruas e nos sinais pedindo esmola, estão praticando assaltos”.

Juristas e políticos batem cabeça e não chegam a uma conclusão para diminuir o inflado sistema carcerário bonequeiro.

Mesmo com o Art. 5°da Constituição no que diz respeito à vida, mesmo presos, impressionantemente, os bonecos gigantes não perdem o sorriso no rosto.


Todas as notícias do 4 Cantos News são fruto da imaginação. Qualquer semelhança com a vida particular ou acontecimentos expostos à sociedade, dos que moram ou dos que frequentam este ambiente são meras coincidências. O conteúdo não reflete, necessariamente, a opinião do PorAqui. Somos uma rede que visa mostrar a pluralidade de bairros, histórias e pessoas.