Com temática voltada às questões sociais, o CAOS 2018 (semana criativa organizada pelo IFPE Olinda) incluiu na programação rodas de conversa sobre novas mídias e ativismo digital, com o pesquisador Luciano Meira, e sobre performance, com a artista Transalien, que abriu, nesta quinta (15), o show de Azealia Banks no Coquetel Molotov.

O artista plástico Renato Valle, a cantora Bia Marinho e o grupo musical Em Canto e Poesia também são novas atrações confirmadas. O evento gratuito da arte e tecnologia, realizado pelo IFPE – Campus Olinda, ocorrerá entre os dias 20 e 22 de novembro, no Sítio Histórico de Olinda.

A programação conta com cerca de 80 atividades distribuídas em exposições, oficinas, performances, intervenções artísticas, espetáculos, palestras e rodas de conversa. Tudo ocorrerá, simultaneamente, no Centro de Cultura Luiz Freire, na Praça Laura Nigro e no casarão em frente à mesma praça, onde já funcionou o Museu do Mamulengo.

Grupo Em Canto e Poesia se apresentará no evento

Entre as atrações musicais, estão as bandas Bongar e Forró na Caixa, o grupo percussivo Brincante Popular e o grupo de performance Totem. Haverá ainda o espaço CAOS empreendedor, com venda de produtos artísticos e atividades de formação de parcerias. O evento contará ainda com roda de conversa envolvendo ativistas do movimento negro, em comemoração ao Dia da Consciência Negra (20), data da abertura do evento.

Durante o CAOS, haverá intervenções com grafite e o projeto Retratos da Hora, em que artistas farão desenhos do público presente. Os participantes ainda poderão ser retratados com uma câmera escura de lambe-lambe, prática popular, especialmente em feiras e praças do Nordeste, entre as décadas de 60 e 80, através da qual pessoas de baixo poder aquisitivo, faziam suas fotografias, principalmente as denominadas 3×4.

As exposições ocorrerão no casarão da TV Viva (antigo Museu do Mamulengo), onde serão apresentadas obras em argila, desenhos de modelo vivo, fotografias, pinturas, gravuras, ilustrações, maquetes eletrônicas (modelagens 3D) e animações. Uma das exposições é voltada para deficientes visuais, que poderão tatear releituras de obras de artistas como J. Borges, executadas em placas com relevos e texturas.

Em frente, na Praça Laura Nigro, o público poderá participar de diversas palestras como captação de recursos e case do Lixiki e o laboratório “O Imaginário”.

Serão ainda realizadas oficinas de aquarela, serigrafia guerrilheira, desenho de modelo vivo (maiores de 18 anos), roteiro e Storyboard, colagem, fotomontagem, fotodocumental, estamparia digital, sublimação com técnicas alternativas, capoeira angola, introdução à ilustração vetorial, serigrafia com materiais alternativos, design de jóias, produção de mandalas, bordado de flâmulas, voz no ambiente de trabalho, encadernação (costura belga), confecção de ferramentas artísticas, imagem e texto, desenho de negócio de impacto social, maquetes eletrônicas de espaços públicos e viabilização de projetos artísticos. Com a ideia de inclusão, possibilitando que todos produzam suas artes, as oficinas oferecerão material gratuito aos participantes.

Grupo Bongar fará show de encerramento do evento

Os interessados devem acessar o site e realizar gratuitamente suas inscrições pelo www.caosifpe.com.br, onde é possível acessar toda a programação do evento. Após o procedimento, os interessados deverão efetuar inscrição específica nas atividades que desejarem participar. Metade das vagas oferecidas só serão preenchidas presencialmente durante o evento.