“Nós só vamos tirar as faixas pretas das nossas fachadas quando o caso for elucidado”, diz moradora da Rua do Bonfim. Após morte ainda não esclarecida da arquiteta Maria Alice Soares (74), conhecida pelas pessoas próximas como “Baixinha”, moradores do Sítio Histórico de Olinda, através da Sociedade Olindense de Defesa da Cidade Alta (Sodeca), estão organizando um ato neste sábado (17), às 16h, nos Quatro Cantos, em Olinda.

A hipótese de latrocínio ainda é a mais forte nesse momento, mas a indefinição do caso tem deixado a vizinhança do entorno assustada. Historicamente, após o período carnavalesco o arrombamento de casas e furtos no Sítio Histórico de Olinda aumentam e esse ano não tem sido diferente.

Violência: moradores da Cidade Alta repercutem morte de arquiteta em Olinda

A ideia do encontro no sábado é clamar por justiça e alertar para a onda de violência que culminou com a morte da arquiteta. “Baixinha” foi fundadora do Eu Acho é Pouco e integrantes do bloco confirmaram presença no ato.

Moradores estão apreensivos com a violência dos últimos acontecimentos. Foto: Rodrigo Édipo/PorAqui

Segue convocação da Sodeca

“Moradores do Sítio Histórico de Olinda: Sábado, 17/03/18, a partir das 16h, iremos nos concentrar nos Quatro Cantos, e depois sairemos caminhando pelas ruas da cidade, clamando pelo fim dos assaltos, furtos e a violência que culminou na morte da nossa baixinha, uma mulher forte e muito querida, que foi assassinada brutalmente. Tragam flores dos seus jardins e, a partir de amanhã, 15/03, ponham um faixa preta na fachada de sua casa. Precisamos mostrar a nossa indignação. Compartilhem e compareçam. Juntos somos mais fortes.”