Em meio à crise de combustíveis, cujos preços estão numa crescente já há alguns meses, uma solução nascida no Porto Digital, no Recife, ganha ainda mais espaço no mercado logístico do Brasil e já planeja seu salto para países da América Latina. O Fusion DMS é um aplicativo que reúne cinco módulos integrados, a exemplo de um roteirizador, que planeja as entregas considerando fatores de trânsito, imprevistos, acidentes, etc.

5 maneiras de entender e sobreviver ao caos da gasolina no Recife

O sistema é capaz, entre outras coisas, de otimizar as rotas fazendo o planejamento das saídas. “Muitos dos nossos clientes fazem a entrega fracionada, aquela que deixa um pacote aqui, outro ali. Por exemplo, se um cliente nosso tem 20 veículos para fazer entregas pelo Recife, o aplicativo faz a roteirização para gastar o mínimo de combustível possível”, comenta Emílio Saad Neto, CEO da Fusion DMS, empresa da rede ikewai.

Além da roteirização das entregas, os módulos incluem geomonitoramento dos motoristas, controle da produtividade, da jornada de trabalho dos motoristas e relatórios para gestores e motoristas. Eles são integrados e armazenados em nuvem.

A Fusion cresceu 431% em seu primeiro ano depois de lançada no mercado (foto: divulgação)

O serviço, que promete redução de até 30% nos custos operacionais, foi concebido em 2010 e estreou no mercado em 2014, depois de passar por três anos de maturação na aceleração do CESAR. “Eu sempre trabalhei na área de tecnologia de distribuidoras e já percebia, lá em 2008 e 2009, a necessidade de uma solução como essa. Esse conceito DMS (Delivery Management System) foi estreado no mercado por nós”, detalha Emílio.

CESAR School abre as portas para visitantes! Interessados devem se inscrever

Expansão

(foto: Fabio Scremin/Fotos Públicas)

A Fusion já conta com 250 clientes distribuídos em 22 Estados, em todas regiões do País, e um crescimento de 104% no faturamento de 2016 para 2017 e de 431% no anterior. Para este ano, a expectativa é novamente duplicar o faturamento e chegar à casa dos R$ 7 milhões.

Ainda este ano, a empresa deverá iniciar sua participação em países da América Latina, com clientes que começaram o contrato no Brasil e vão levar o serviço para suas operações em países vizinhos. Para 2019, a Fusion DMS pretende obter um investimento que permita executar o planejamento estratégico.

O rápido crescimento se explica com a eficiência, que reduz, em média, 12% dos custos operacionais com um baixo investimento. O software é comercializado como um serviço, que cobra uma mensalidade dos clientes e não tem tempo mínimo de permanência no contrato.

“A implantação do sistema dura cerca de dois meses, e o retorno já vem no mês seguinte, dez vezes maior que o valor investido nos dois meses anteriores”, calcula o CEO. Ainda segundo Emílio, o cliente paga entre R$ 60 e R$ 130 para cada caminhão cadastrado, a depender da quantidade de módulos contratados no aplicativo.