Preste a completar 102 anos de inauguração (em 24 de agosto), e há sete de portas fechadas, abandonado pela Prefeitura do Recife, o histórico Teatro do Parque, no Centro do Recife, está prestes a se tornar cenário de mais uma mobilização em prol de sua reabertura.

Daqui a exatamente um mês, no dia 26 de agosto (um sábado), acontecerá a Virada Cultural do Teatro do Parque, com uma intensa programação que irá enveredar pelo dia 27 (domingo), com música, teatro, cinema, dança e demais expressões artísticas.

Teatro do Parque fechou suas portas em 2010, para reformas que nunca foram concluídas (Foto: Fernando da Hora/JC Imagem)

A movimentação em torno da Virada está em sua fase de construção. O pontapé inicial foi dado pelo ator e produtor cultural Diógenes Lima, que postou o evento no facebook e ganhou adesão total da classe artística. “Foi impressionante como uma enxurrada de gente já entrou em contato comigo para colaborar com a Virada”, conta.

Nos próximos dias, será realizada a primeira reunião com toda a equipe. “Vamos dividir as comissões que irão atuar na virada: de teatro, de música, de dança, etc”, explica Diógenes, enfatizando que o processo de montagem da programação e de produção será feito de forma coletiva e colaborativa.

O objetivo da Virada, segundo Diógenes, é que a mobilização em torno do Teatro do Parque não fique restrita somente à esfera artística. “Nós queremos despertar a população também para a importância da reabertura do teatro, que o povo abrace essa causa”.

Entenda mais

Um dos mais importantes símbolos da arte e da cultura no Recife, o Teatro do Parque, na Rua do Hospício, bairro da Boa Vista, inaugurado em 24 de agosto de 1915, foi palco de show, filmes e peças emblemáticas.

Desde 2010, o Teatro foi fechado, pela Prefeitura do Recife, para passar por reformas estruturais que, efetivamente, só começariam em 2015. No entanto, as obras não caminharam, foram paralisadas, e o Parque amargou seu centenário de portas fechadas.

Cenário é desolador no interior do Teatro (Edmar Melo/JC Imagem)

Atualmente, as obras, previstas para serem concluídas no final de 2016, inexistem. Previsão para reabertura? Nenhuma. O Teatro do Parque é hoje cenário do total descaso do poder público com a cultura da cidade. E isso impactou também no movimento da Rua Hospício, antes um dos redutos boêmios mais frequentados da cidade.

Várias manifestações da classe artística local foram feitas em prol da reabertura do Teatro do Parque, que continua, infelizmente, entregue à própria sorte.