Apesar de toda a riqueza musical para a qual Pernambuco é – e sempre foi – vocacionado, a música instrumental local sempre careceu de visibilidade. E não por falta de talentos, diga-se de passagem. Talvez um circuito exclusivamente dedicado a essa seara da música é o que falta… faltava.

É que estreia, nesta quarta (18), o Aurora Instrumental, circuito musical que tem tudo para se consolidar como um panorama dessa expressão no estado, com uma programação que perpassa diversas vertentes e denota bem a fertilidade da música instrumental produzida aqui.

Poço da Panela recebe festival de jazz gratuito neste sábado (21)

Nesta sua primeira edição, o Aurora Instrumental trará ao palco do Teatro Arraial Ariano Suassuna, no bairro da Boa Vista, um total de 20 concertos, divididos em duas temporadas. A primeira será de 18 de abril até 20 de junho, e quem abre os trabalhos é o Spok Quinteto, que se apresenta às 19h30, nesta quarta (18).

O percussionista Gilú Amaral é idealizador e curador do Aurora Instrumental (Foto: Divulgação)

“A ideia desse circuito é dar espaço para a música instrumental, que, mesmo com muita gente fazendo, ainda é pouco divulgada. E, além disso, o Aurora Instrumental se propõe a mostrar a diversidade da nossa música instrumental, mostrar como é eclético o estado nesse segmento”, diz o percussionista Gilú Amaral, que divide com o produtor executivo Félix Aureliano a idealização e curadoria do Aurora Instrumental.

Diversidade é, de fato, a marca do casting que integra essa primeira temporada do circuito. Compõem a programação nomes consagrados, como Spok e Zé da Flauta, a “nova safra” da música instrumental local, como Vinicius Sarmento, Amaro Freitas Trio e Henrique Albino Trio, passando pela tradicional Banda de Pífanos Zé do Estado (junto com Anderson do Pife), ao inusitado projeto QuarteTubas, e, também, Rivotrill, Hugo Linns e o próprio Gilú Amaral.

Amaro Freitas (Foto: Divulgação)

“O público poderá assistir a um show de um flautista tocando rock’n’roll, um show de chorinho com frevo, mas também de um violonista super jovem tocando música pernambucana; vai ver uma banda de pífanos, ou um violeiro com uma pegada mais contemporânea, ou um show de percussão. Então, a gente quis não ter uma linha a seguir, para mostrar que Pernambuco tem uma diversidade gigante também na música instrumental”, destaca Gilú.

Essa proposta de trazer sempre algo diverso a cada concerto, ao longo de uma temporada de dois meses é, também, fator essencial para fomentar a formação de público de música instrumental no estado. “O público ficará sempre surpreendido a cada apresentação”, garante Gilú.

QuarteTubas (Foto: Divulgação)

A primeira temporada do Aurora Instrumental será todas as quartas-feiras, às 19h30, no Teatro Arraial Ariano Suassuna (Rua da Aurora, 457 – Boa Vista). Os ingressos custam R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia) e são vendidos a partir de uma hora antes do espetáculo, na bilheteria do teatro e, também, no sympla.

Programação Aurora Instrumental (1ª temporada)

18/4 | Spok Quinteto
25/4 | Amaro Freitas Trio
2/5 | Henrique Albino Trio
9/5 | Vinícius Sarmento
16/5 | Gilú Amaral
23/5 | Rivotrill
30/5 | Hugo Linns
6/6 | Quartetubas
13/6 | Zé da Flauta
20/6 | Anderson do Pife e Banda Zé do Estado

Aurora Instrumental – 1ª temporada
Todas quartas-feiras, de 18 de abril a 20 de junho, às 19h30
Teatro Arraial Ariano Suassuna | Rua da Aurora, nº 457, Boa Vista
R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia).
Vendas: Bilheteria do Teatro Arraial (aberta um hora antes do show) e no sympla.