Quando se fala em almoço no Bairro do Recife, não tem como não passar pela mente o nome Bar Royal. O almoço mais famoso e tradicional da região se mantém vivo e delicioso há 73 anos.

Assado de cupim, lombinho de porco, assado de panela, cozido, costelinha de porco (que são os “pratos do dia”) e tantos outros, acompanhados do tradicional arroz com feijão, purê de macaxeira, farofa de cuscuz e salada, fazem parte do cardápio preferido de muita gente há gerações.

Lombinho de porco (Foto: Reprodução/Facebook)

O Bar Royal surgiu, oficialmente, em 1944, e lá se serviam apenas petiscos e bebidas. Em novembro de 1970, passou a ser administrado por Seu Ribeiro, português da cidade do Porto, o seu mais famoso dono, figura clássica cuja história se confunde com a do próprio Royal.

Seu Ribeiro, hoje, com 87 anos, não está mais à frente do Royal. Mas sua foto está lá, em uma das paredes, “tomando conta” do lugar. Quem hoje administra o negócio é o filho José Dimas, que também já é bem conhecido da clientela.

Seu Ribeiro continua nas paredes do Royal, “tomando conta” do ambiente (Foto: Leonardo Vila Nova/PorAqui)

Foi nos anos 1990 que o Royal descobriu sua vocação: almoço. Almoço caseiro, com aquele gostinho de casa. E o preço vale o que se come. De pratos que vão de R$ 15,40 a R$ 25, dá para saciar a fome sozinho ou dividi-la com alguém, na maior honestidade. Além disso, há a cortesia da casa: caldinho de feijão pra abrir os caminhos.

Tem dias que o almoço é uma disputa só. “Cozido, por exemplo, a gente tem que fazer reserva. A gente faz pra 40 e, às vezes, não dá pra quem quer”, conta Dimas.

Cozido (Foto: Eduardo Amorim/PorAqui)

O tempero é o mesmo desde que Dona Terezinha, mãe de Dimas, comandava a cozinha. “Ela fazia tudo na mão, no olho. Tivemos o cuidado de pegar com ela as medidas, pra mantermos a mesma qualidade no tempero”.

O segredo da longevidade do Bar Royal está, segundo Dimas, na dedicação e no olhar atento às mudanças do mercado. “É dedicação à empresa. É pesquisar o mercado, acompanhar as mudanças”, diz ele. “Criamos discussões com o pessoal da cozinha sobre o que oferecer ao novo público que vem surgindo. Mas, ainda assim, mantendo o tradicional, sem perder a nossa essência, que foi o que fortaleceu o nome do Royal”.

Pizza da Padaria Imperatriz é patrimônio afetivo do Centro do Recife

73 anos

O aniversário do Royal é comemorado levando em consideração o ano de 1944, mas com um ressalva: é sempre comemorado em novembro, mês em que Seu Ribeiro assumiu o bar, em 1970.

Completando 73 Primaveras de Royal, Dimas teve a ideia de resgatar, a cada semana, durante todo o mês de novembro, petiscos famosos do bar que “saíram de circulação”. Com uma curiosidade: numa quadro a giz, o valor original do petisco quando era comercializado (e o ano de referência) e o valor atualizado em reais.

Pratos comemorativos do Bar Royal só até esta semana (Foto: Leonardo Vila Nova/PorAqui)

“Esses pratos só foram servidos durante este mês de novembro, em comemoração aos 73 anos”. Já passaram por lá sarapatel, guisado misto (17.500 Cruzeiros Novos) e frango à cubana. Ainda dá tempo de aproveitar: o prato saudoso da semana é o pé de porco com feijão preto. Não perde tempo, vai lá provar.

(Continua…)

Bar Royal
Rua Mariz e Barros, 181 – Bairro do Recife
Segunda a sexta, das 10h às 20h
Telefone: 3033-6996

O cubano Fidélio Lago e o famoso maltado do Recife Antigo