Uma das mais emblemáticas vozes do jazz, a cantora norte-americana Billie Holliday (1915-1959) é a personagem principal do musical Amargo Fruto – A Vida de Billie Holiday, que estará, de quinta (23) a sábado (25), na Caixa Cultural Recife, no Bairro do Recife.

Os ingressos – que custam R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia)  – começam a ser vendidos a partir das 10h desta quarta (22), na bilheteria da Caixa Cultural. Serão quatro sessões: quinta (23) e sexta (24), às 20h; e no sábado (25), às 17h e às 20h.

Confira o trailer de Amargo Fruto

Rodando o Brasil desde 2015, o espetáculo chega pela primeira vez no Recife, com uma bagagem de indicações e conquistas de prêmios teatrais no País. Quem encarna Billie é a atriz e cantora Lilian Valeska.

“Não tento ser um clone ou uma imitadora de Billie Holiday. No máximo, recorro a algumas inflexões, a certos timbres característicos dela”, revela Lilian. “Tentei aprender com a própria Billie, sem imitá-la. Escolhi o caminho do sentimento. Sou uma preta muito brasileira, musicalmente, de modo que tentei entrar no mundo de Billie ou em como ela interpretava suas letras.”

(Foto: Cláudia Ribeiro)

Com direção de Ticiana Studart, o musical (de 90 minutos) traz ao palco a artista Billie e seu talento inconteste, mas também retrata passagens dolorosas de sua vida, como uma infância de miséria, um estupro, a prostituição, o preconceito racial e o seu envolvimento com drogas.

A direção musical e os arranjos são de Marcelo Alonso Neves. Ao longo de 19 canções do repertório de Billie (entre elas, Summertime, Strange Fruit Speak Low), ele recorreu a um trio básico de jazz (piano, baixo e bateria, mais sax tenor) para acompanhar Lilian no espetáculo.

Milton Filho e Patrícia Costa completam o elenco, cantando e interpretando diversos personagens que influenciaram a vida da cantora.

Sobre Billie Holliday

Billie Holiday (Foto: Reprodução/Internet)

Mito cultuado, principalmente após sua morte, Billie Holiday atingiu a fama e a celebridade enquanto viva, não apenas por suas qualidades de canto original, mas também por sua vida tumultuada e seu sistemático envolvimento com álcool e outras drogas.

Sua voz, cujo timbre inconfundível tinha a perfeição de um instrumento, expressou, além da beleza da arte, a melancolia que se constituiu na face mais sombria do blues, na fenda mais profunda do jazz.

Protagonista de uma época difícil para o povo americano e muito pior para as pessoas negras americanas, Billie cantou a tristeza, a derrota, a tragédia do racismo e os amores impossíveis.

E se a magnitude da sua arte contrapunha-se à sua derrocada pessoal, um e outro somaram para que se edificasse em torno de seu nome um mito indestrutível.

Amargo fruto – A vida de Billie Holiday
Quinta (23) e sexta (24), às 20h, e sábado (25), às 17h e às 20h
Caixa Cultural Recife | Av. Alfredo Lisboa, 505 – Bairro do Recife
R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia)
* À venda a partir das 10h desta quarta (22), na bilheteria da Caixa Cultural Recife
Classificação indicativa: 12 anos
Duração: 90 minutos
Informações: (081) 3425-1915