Ainda pouco difundida no Brasil, a produção cinematográfica africana será protagonista na tela do Cinema São Luiz, de quarta (23) a sábado (26), com a primeira edição da Baobácine – Mostra de Filmes Africanos do Recife, uma realização do Fazendo Milagres Cineclube, em parceria com o Fórum Itinerante de Cinema Negro (FICINE).

Durante a mostra, serão apresentados filmes – curtas, médias e longas – que dão um panorama do que é feito no continente africano, desde os filmes da lavra mais clássica dessa cinematografia até as produções mais recentes. As sessões começam sempre às 19h. Confira a PROGRAMAÇÃO COMPLETA.

Terça Negra especial comemora o Dia da África

“O Retorno do Aventureiro”, de 1966, está na programação (Foto: Divulgação)

“A gente viu que Recife tinha essa lacuna: pouco se conhece do cinema africano”, diz Ludimilla Carvalho, produtora executiva da mostra. “Procuramos pensar globalmente, buscando um equilíbrio entre filmes contemporâneos, que mostrassem uma África mais plural, menos centrada na ideia de ancestralidade, e também colocar alguns filmes que fossem pioneiros do cinema africano”, conta.

Os ingressos para os filmes serão vendidos a R$ 6 (inteira) e R$ 3 (meia entrada). E a programação completa está disponível no blog da Baobácine.

Outras atividades

Além das exibições, a mostra trará atividades formativas. Na quinta (24) e sexta (25), às 13h30, será realizado o mini-curso “Para além de Nollywood: experiências contemporâneas do cinema autoral africano”, que abordará algumas temáticas contemporâneas relacionadas ao fazer filmes no continente africano, para além da experiência contemporânea de Nollywood, cinema popular produzido na Nigéria. As inscrições já estão encerradas.

“São Eles os Cães”, de 2013, é uma amostra da produção contemporânea (Foto: Divulgação)

Já no sábado (26), às 14h, acontece a Roda de Conversa “Presença da mulher negra nos cinemas de África e Diáspora” com a participação de Cíntia Lima, Conceição Camarotti, Éthel Oliveira, Iris Regina e Stella Zimmerman, com mediação de Janaína Oliveira.

“A questão de gênero atravessa essas fronteiras territoriais. Então vamos propor um paralelo entre a caminhada dessas mulheres no audiovisual com o que trazem os filmes da mostra”, diz Ludimilla, ao lembrar que a equipe da Baobácine é inteiramente composta por mulheres.

O acesso para a Roda de Conversa é gratuito.

Baobácine – Mostra de Filmes Africanos do Recife
? 23 e 26 de maio de 2018
? Cinema São Luiz | Rua da Aurora, 175 – Boa Vista Recife/PE
? R$ 6 (inteira) e R$ 3 (meia) | Minicurso e Roda de conversa: aberto ao público