Diretamente do Ibura,  na zona sul, para a Avenida Conde da Boa Vista, no centro, um grupo de adolescentes pediu parada e desceu em um dos pontos mais movimentados do Recife para dar seu recado através do graffiti.

No último mês de agosto, ocasião em que os ônibus do BRT completaram 4 anos de funcionamento no Recife, uma parceria entre a MobiBrasil e a ONG Etapas – Equipe Técnica de Assessoria, Pesquisa e Ação Social escolheu a estação de BRT Gervásio Pires I, próxima ao Shopping Boa Vista, para ser ocupada e receber a intervenção artísticas de jovens assistidos pela organização não-governamental.

LEIA TAMBÉM

Sarau da Boa Vista: cultura, inspiração e resistência no Centro do Recife

Contramão: a realidade nua e crua da noite na Av. Conde da Boa Vista

A Etapas foi fundada há 35 anos para defender e promover a inclusão social, a garantia e a efetivação de políticas públicas em localidades que convivem com seus direitos violados, principalmente, o direito das juventudes, das crianças e adolescentes e o direito à cidade.

Foto: Reprodução/Etapas

Direito à cidade

E não foi à toa que a ação planejada para marcar essas mais de três décadas tenha sido a grafitagem na Conde da Boa Vista. De acordo com Isabela Valença, coordenadora executiva da Etapas, o trabalho quis trazer a comunidade para perto do Centro, onde as milhares de pessoas que circulam pelo local diariamente possam enxergar essa realidade.

“Muitas dessas crianças e adolescentes sequer têm acesso a chegar ao Centro do Recife. E essa ação trouxe e deixou as marcas da arte das comunidades no Centro”, diz ela.

Foto: Comunicação/Etapas

Com a lata de spray na mão e o coração repleto de desejos, os adolescentes moradores da Vila 27 de Abril e Portelinha, no Ibura, por algumas horas, conseguiram interromper o fluxo frenético e infindável do Centrão para expressar seus pensamentos, anseios e vivências em forma de arte.

Na região onde a pressa faz parte da rotina e as paisagens não são mais notadas, o graffiti na Estação BRT Gervásio Pires I surge em meio ao caos como um descanso para quem, nem que seja por alguns instantes, nota que aquele colorido não estava ali dias atrás.

Foto: Reprodução/Etapas

“Toda vez que eu for para o Centro, vou ver meu desenho e me orgulhar”, disse Emily Larissa, uma das jovens participantes do projeto.

A oficina de graffiti, que culminou com a ação na Conde da Boa Vista, durou 4 dias e contou com a monitoria do coletivo MangueCrew.

Próxima parada: uma nova realidade

Desde que passou a fazer do Ibura sua principal estação de atuação, há quase 30 anos, a Etapas atende crianças, adolescentes e suas famílias em 11 comunidades do entorno, tendo como parceria a Federação de Moradores do Ibura Jordão (FIJ).

Foto: Comunicação/Etapas

Para que os moradores sejam condutores de suas próprias vida e agentes transformadores da realidade precária em que se encontra a periferia do Recife, a Etapas envolve toda a família nessa rede de atividades e discussões.

“Deste modo, são realizadas intervenções de cunho político e cultural nos espaços públicos das comunidades e da cidade (entre elas a ação de grafitagem no BRT da Conde da Boa Vista), de modo a incentivar a luta por direitos e assim facilitar o acesso dos moradores aos serviços de saúde, cultura e lazer”.

Foto: Reprodução/Etapas

E se o Centro do Recife não enxerga a periferia, o graffiti no BRT da Boa Vista mostra que nem só de estereótipos vivem as comunidades.

“Minha favela não é só violência, tem também paz, amor entre um e o outro. Estou tentando mostrar que a favela não é só isso”, disse em depoimento o adolescente Renato Junior.

Sempre cabe mais um

Realizando esse trabalho há 35 anos, a Etapas é composta, hoje, por um conselho diretor, equipe técnica, equipe de apoio técnico e administrativo, estagiários e voluntários.

Foto: Comunicação/Etapas

E para seguir viagem, a ONG conta com contribuições financeiras e doação do tempo de voluntários. A cota de doação pode ser R$ 20, R$ 50, R$ 100 ou outro valor através do pagamento via PayPal. Além disso, a Etapas recebe livro didáticos, materiais de construção e alimentos como forma de doação.

Para saber mais sobre a ONG Etapas e como se tornar um voluntário, o site é www.etapas.org.br.

Por Manuel Borges

Jornalista matuto que trocou o gosto da cana pelo cheiro do mangue. Adora passear por locais, histórias, cultura, picos/festas/bares, personalidades e humor sempre tendo o Centro, o coração da Cidade do Recife, como tema. Instagram: @manecoborges.

Os conteúdos publicados no PorAqui são de autoria de colaboradores eventuais e fixos e não refletem as ideias ou opiniões do PorAqui. Somos uma rede que visa mostrar a pluralidade de bairros, histórias e pessoas.