A estreia do Brasil com um empate de 1 a 1 contra a Suíça, no último domingo (17) deu um banho de água fria em muitos torcedores da Canarinha. Mas não é hora de desanimar, nem tudo está perdido!

Das cinco Copas que o Brasil foi campeão, em três ele empatou na primeira fase. Vejamos: 1958, na Suécia, o placar foi Brasil 0 x 0 Inglaterra; em 1962, o Brasil também ficou no zero zero contra a Tchecoslováquia, na Copa do Chile; e em 1994, Brasil e Suécia cravaram 1 a 1 no placar quando se enfrentaram na Copa dos Estados Unidos.

Ainda dá pra botar fé na seleção e torcer pelo hexa! Mas se você ainda não comprou sua camisa para fazer valer a torcida, ainda dá tempo. E onde encontrar? Melhor lugar que o Centro do Recife não há.

O PorAqui deu um pequeno giro pelo centrão – o famoso “vuco” e arredores do Mercado de São José – e foi saber como andam as vendas de artigos relacionados à Copa do Mundo. E parece que vão indo muito bem!

O fatídico 7 a 1 contra a Alemanha não traumatizou tanto assim. Não a ponto de diminuírem as vendas, dizem os lojistas e ambulantes.

A Look Modas, que fica na Rua Direita, investiu em camisas do Brasil, com vários modelos diferentes, que vão de R$ 12,99 a R$ 34,99. “Até o dia do 1º jogo a gente vendeu muito bem. Só no sábado (16), foram 400 peças”, diz a gerente Anne Sampaio.

4 lugares grátis para ver os jogos da Copa do Mundo no Recife

O vendedor ambulante Maurício Barbosa está animado com as vendas neste ano (Foto: Leonardo Vila Nova/PorAqui)No Lojão dos Calçados, também na Rua Direita, o gerente Marcos Antônio dos Santos também diz que o movimento foi bom. Apesar de só colocar os produtos à venda no final de maio. “A gente está vendendo bem mais do que na última Copa. Da outra vez, sobrou coisa. Desta vez, estamos tendo que repor o estoque”.

A Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL), no entanto, previu o contrário. “Em relação à última Copa (2014), as vendas estão menores”, diz, em nota enviada ao PorAqui. O motivo, segundo eles, foi a euforia causada pela última Copa, por ter sido realizada no Brasil. “Este ano, podemos dizer que as vendas ainda estão razoáveis, e que elas tenderão a crescer de acordo com as vitórias do Brasil”, continua.

Josias Pereira Santana ainda está receoso com as vendas, apesar de ter vendido muito na última semana (Foto: Leonardo Vila Nova/PorAqui)

Quem concorda com a CDL é o ambulante Josias Pereira Santana. Ao PorAqui, ele disse que as vendas estão menores se comparadas com a última Copa, mesmo tendo vendido muito na última semana. “Quinta, sexta e sábado parecia o Galo da Madrugada aqui. Eu vendi umas mil camisas”, disse.

Mas a ressalva que ele faz é com relação à reposição do estoque. “Os fornecedores não estão botando muita fé, aí não prepararam tanta coisa quanto na última Copa, mas eu vou garantir mais roupas pra vender”, diz ele, que vende camisas do Brasil por R$ 10 e R$ 20 (polo), além de cornetas, bandeiras, chapéus.

De camisa a corneta, tem de tudo no centrão (Foto: Leonardo Vila Nova/PorAqui)

O ambulante Maurício Barbosa, que fica na Rua Direita, também vendeu bem. “Até o sábado, tava uma loucura aqui, todo mundo comprando”, diz. “Óbvio que o empate teve um impacto, mas daqui a pouco, o pessoal volta a comprar”, diz ele, otimista, e ainda cheio de camisa pra vender.