A noite de hoje (13) começa com uma notícia triste: faleceu Bianca Close, 40 anos, mulher trans que guardava carros e fazia bijuterias nos arredores do Parque 13 de Maio, em Santo Amaro, área central do Recife. A casa dela, construída através do projeto colaborativo Save Bianca, que mobilizou muitos recifenses no final do ano passado, havia ficado pronta na semana passada. A renda arrecadada na Vakinha foi revertida para a realização de um sonho.

Ela faleceu na UPA de Nova Descoberta em virtude de uma insuficiência respiratória. Bianca estava há alguns dias internada, diagnosticada com tuberculose. O velório será a partir das 10h deste sábado (14) e o enterro está previsto para as 15h, ambos no Cemitério Jardim Metropolitano, em Águas Compridas, Olinda. Veja aqui como chegar.

Leia também:

Close certo: bora ajudar Bianca a ter um lar?

Bianca era a única mulher trans entre os flanelinhas das imediações do Parque 13 de Maio (foto: Victor Jucá)

Se você circula pela área da Rua Mamede Simões, provavelmente já havia cruzado com ela. Quem conheceu Bianca sabe que o sorriso e a voz meiga carregavam uma história de luta contra a pobreza e o preconceito, na realidade de quem precisou sair de casa aos 13 anos. Era a única mulher trans entre os flanelinhas da região do Bar Central. Dividia o trabalho e a vida com o companheiro, Lelo, há 18 anos.

No fim do dia, o teto para dormir era um pedacinho da pequena guarita dentro do 13 de Maio. Na semana passada, a realidade finalmente tinha mudado e ela iria sair da rua. O lar de Bianca ficou pronto, erguido numa força-tarefa dentro do terreno de familiares, na comunidade do Vasco da Gama.

Quem conheceu Bianca sabe que o sorriso e a voz meiga carregavam uma história de luta (foto: Victor Jucá)