A Feeeira de Caaaruaruuuu… ”, duvi-dê-ó-dó você não saber os próximos versos deste clássico da música nordestina e brasileira! O autor da canção completou, no último dia 13 de agosto, 90 anos. Mas, para o caruaruense Onildo Almeida, a vida é sempre celebração, e ainda tem festa para acontecer.

Nesta sexta (24), o compositor ganhará mais uma homenagem pelas nove décadas de vida, rodeado de artistas e gente amiga: será a partir das 19h, no Teatro Arraial Ariano Suassuna, no bairro da Boa Vista, Centro do Recife.

LEIA TAMBÉM:

Sábado é dia passear, comprar, comer e beber na Feira de Caruaru

Autor de mais de 600 canções – gravadas por nomes como Luiz Gonzaga, Gilberto Gil, Gal Costa, Caetano Veloso, Jackson do Pandeiro, Maysa, entre outros – Onildo fará uma aula-espetáculo, com mediação de Roger de Renor, onde contará “causos” e cantará parte desse gigantesco legado com que presenteia a música popular brasileira. O palco estará aberto, também, para convidados.

Para dar as boas vindas a quem chegar ao Teatro Arraial, Gabriel Nascimento abrirá a noite com uma discotecagem de vinil que irá reverenciar a obra de Onildo. Na sequência, será exibido o filme Onildo Almeida – groove man (2017), de Helder Lopes e Cláudio Bezerra, que traz Onildo em bate papos e apresentações com artistas como Gil, Maciel Melo e Junio Barreto.

O compositor, o groove man

O nome de Onildo Almeida ganhou destaque em 1957, quando a sua Feira de Caruaru foi gravada por Luiz Gonzaga. Primeiro grande recorde musical do Nordeste, o compacto – que, além da “Feira”, trazia a música Capital do Nordeste (também de Onildo) – vendeu 100 mil cópias em dois meses.

“Groove man” é o apelido dado a Onildo por Gilberto Gil, o tropicalista que gravou a sua Sai do Sereno, no disco Expresso 2222. A obra do caruaruense não se restringe apenas ao forró. Autor de centenas de canções, Onildo também compôs música romântica e mais uma série de outros gêneros, até “forrock”.

“Forrock”, de 1987 (Foto: Reprodução/Forró em Vinil)

Quando jovem, fez parte de grupos locais, como o Cancioneiros Tropicais – que veio a se chamar, depois, Vocalistas Caetés. Iniciou carreira na Rádio Difusora de Caruaru, em 1951, como operador de áudio, chegando a se tornar, depois, repórter e publicitário.

Apesar de ser autor de incontáveis clássicos, entre eles, A Hora do Adeus, Gírias do Norte, Sai do Sereno, de fato, Feira de Caruaru foi seu maior sucesso, sendo regravada em versões em 34 países. Uma estátua de Onildo demarca a entrada da feira que ganhou o mundo através dos seus versos.

90 anos de Onildo Almeida
? Sexta (24), às 19h
? Teatro Arraial Ariano Suassuna | Rua da Aurora, 457 – Boa Vista
? Entrada gratuita