A obra de Arnaldo Augusto Nora Antunes Filho sempre dialogou com diversas linguagens artísticas. Sua criação pode ser acessada através da música, da poesia ou das artes visuais – e também do audiovisual. O suporte comum a todas essas formas de expressão é, sem dúvida, a palavra, sua principal matéria-prima.

E é ela – irrompida em suas dimensões verbais, sonoras e visuais – que ganha destaque na exposição Palavra em Movimento, que Arnaldo Antunes trará ao Recife. A abertura da mostra será no dia 16 de agosto (uma quinta), às 19h, na Caixa Cultural, no Bairro do Recife, e terá a presença do ex-Titã e atual Tribalista. O acesso é gratuito.

Palavra em Movimento – que ficará em cartaz na Caixa Cultural até o dia 14 de outubro – celebra três décadas de produção visual do multiartista paulistano e tem curadoria de Daniel Rangel – gestor de museus da Secretaria de Cultura da Bahia entre 2008 e 2011.

A exposição – que circula o Brasil desde 2016 e já passou por São Paulo, Brasília, Fortaleza, Rio de Janeiro, Florianópolis e Salvador – propõe uma síntese da eclética trajetória de Antunes nas artes visuais contemporâneas, cujo processo criativo sempre foi marcado pelo vanguardismo.

A mostra reúne, em recorte cronológico, caligrafias, colagens, instalações e objetos poéticos realizados em toda sua carreira artística.

LEIA TAMBÉM:
Exposição de 30 anos de Devotos ganha mais dias em cartaz no Mamam

Antunes e a “arte geral da palavra”

Segundo Daniel, a maneira integrada de criar de Arnaldo Antunes é inspirada na poesia concreta e remete à expressão joyceana “verbivocovisual”, que sintetiza a proposta, colocada em prática nos anos 1950 pelos concretistas brasileiros, dos novos modos de se fazer poesia, visando a uma “arte geral da palavra”.

(Foto: Paulo Winz)

“Seja esta falada, escrita, desenhada, fotografada, filmada, construída ou cantada, sua obra estrutura-se a partir da palavra. Um dinamismo que caracteriza seu trabalho, aliado ao não pertencimento a um local ou gêneros específicos. Um mensageiro-viajante, cidadão do mundo, que manipula a linguagem como poucos”, afirma Rangel.

Os objetos e instalações poéticas, juntamente com adesivos, banners e letreiros criados para a mostra, buscam no universo do readymade novas formas de retirar a poesia do papel. Poemas podem virar esculturas, objetos comuns com forma ou uso subvertidos, ou peças que propõem uma interatividade e participação direta do público.

(Foto: Paulo Winz)

A série “Caligrafias” reúne um pequeno recorte das monotipias realizadas com tinta de carimbo (entre 1998 e 2003), nas quais Arnaldo pintava seus poemas espremendo os tubos de pigmento diretamente sobre o papel de gravura.

“Oráculo”, realizada entre 1981 e 1982, é a série mais antiga incluída nesta mostra, sendo aqui apresentada de forma parcial. É um conjunto de colagens com rasgos manuais sobre pequenos papéis cartonados com sobreposições de imagens, letras, fontes e palavras recortadas de revistas, jornais e outros impressos da época.

Exposição Palavra em Movimento, de Arnaldo Antunes
16 de agosto a 14 de outubro de 2018
📅 Abertura: 16 de agosto (quinta), às 19h
⏰ Visitação: Terça a sábado, das 10h às 20h / Domingo, das 10h às 17h
📍 Caixa Cultural Recife | Avenida Alfredo Lisboa, 505 – Bairro do Recife
💵 Acesso gratuito
📞 (081) 3425-1915